Capital

A Preto e a Cores

Há mais de dois séculos que o coração de Lisboa – a Baixa Pombalina – bombeia para artérias completamente diferentes. Foi após o terramoto de 1755 que Lisboa se viu modificada: ruas largas com um traçado geométrico e passeios calcetados e com edifícios uniformes.

Após o decreto de 5 de novembro de 1760 – que definia os nomes das ruas ao mesmo tempo que regularizava a distribuição dos ofícios e dos ramos para cada uma – as ruas lisboetas ganharam uma nova vida. É do preto e branco para as cores; é do antigo para o novo que se revelam as mudanças urbanísticas e comerciais que a Rua Augusta, Rua Áurea, Rua da Prata, Rua dos Fanqueiros, Rua dos Douradores e Rua dos Sapateiros sofreram. Comecemos esta viagem do passado até ao presente.

Descobre as mudanças aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *