Artigo de opinião – Sporting: sucesso ou “Silada”?

A forma como Frederico Varandas preparou a época 2019/2020 foi muito contestada. Vendas de última hora, empréstimos tardios e até o despedimento do treinador foram temas que marcaram este mercado de transferências. Para resolver os problemas da equipa e acabar com os maus resultados, Jorge Silas foi apresentado como o novo treinador do Sporting CP. A situação do clube de Alvalade é mais que sabida, pelo que o técnico de 43 anos não terá tarefa facilitada.

A derrota por cinco golos sem resposta imposta pelo rival SL Benfica deixou marcas na equipa do Sporting, tanto que Marcel Keizer, a partir do dia 4 de agosto, tinha os dias contados e iria apenas passar mais um mês no comando dos ´leões´. O treinador holandês foi despedido após um desaire em casa contra o Rio Ave, e Leonel Pontes, que estava ao serviço da equipa sub-23, assumiu o cargo de treinador interino. Sob o comando do técnico madeirense, o Sporting não somou qualquer vitória nos quatro jogos que disputou, tendo mesmo perdido os três últimos encontros.

É certo que o plantel leonino tem muitas lacunas, muito por causa da gestão feita pela direção do Sporting nesta última janela de transferências. Os dirigentes leoninos começaram por contratar cinco nomes para o plantel principal – Luciano Vietto, Luís Neto, Valentin Rosier, Eduardo e Rafael Camacho -, tendo gasto cerca de 20,5 milhões de euros no total. Destes cinco, apenas Vietto se tem destacado com um papel importante na equipa do Sporting, tanto pela sua capacidade de desequilíbrio, como pela qualidade técnica que possui. Com as vendas nos últimos dias de mercado, (Bas Dost, Thierry Correia e Raphinha), Frederico Varandas viu-se obrigado a atacar o mercado, tendo optado por negócios de empréstimo com as contratações de Bolasie, Jesé e Fernando, todos com contrato válido por uma temporada. Para além disso, jovens jogadores como Matheus Pereira, Francisco Geraldes, Gelson Dala, Ivanildo Fernandes e Daniel Bragança foram cedidos por empréstimo, mais Domingos Duarte, Iuri Medeiros e Carlos Mané, que também ficaram de fora das contas do Sporting para esta temporada. Terá sido esta a melhor gestão?

Ao serviço do Belenenses SAD, Silas “roubou” 7 pontos a Benfica e Braga.
          Fonte: Observador.

Silas foi jogador profissional de futebol até 2017, tendo acabado a carreira ao serviço do Cova da Piedade. O atual treinador leonino jogou em clubes de Primeira Liga, como o Belenenses e o Marítimo, sendo que passou por Espanha, Inglaterra e até mesmo pelo campeonato do Chipre. O facto de o antigo médio ter terminado a carreira há cerca de 2 temporadas explica o porquê de só ter o nível III dos cursos de treinador da UEFA. A grande questão é se isso pode limitar o seu trabalho no cargo que agora lhe pertence. Silas está impedido de dar indicações para dentro de campo e proibido de comparecer nas conferências de imprensa das competições europeias, uma vez que para orientar uma equipa na Primeira Liga e nas provas da UEFA necessita do nível IV.

Na época transata, Silas esteve ao serviço do Belenenses SAD enquanto treinador principal. Os azuis do Jamor acabaram o campeonato no 9º lugar e demonstraram muita qualidade no seu jogo, sobretudo diante dos grandes do futebol português. Uma equipa competente a nível defensivo (muito pela utilização dos 3 centrais), paciente na posse e incisiva no capítulo da finalização. São estas as ideias que, muito provavelmente, o técnico português tentará passar ao plantel do Sporting, que não tem posto em prática nenhuma das características anteriormente mencionadas.

As formações 3-4-1-2 e 3-4-3 foram as mais utilizadas na caminhada de Silas ao serviço do Belenenses SAD, pelo que poderá muito bem passar por aí a futura ideia de jogo dos leões. A utilização de Luís Neto ou até mesmo de Borja como terceiro central é vista com bons olhos – o jogador colombiano foi opção de Marcel Keizer nessa posição. Rosier e Acuña cobrem as alas. No meio-campo é provável que Eduardo venha a somar minutos, visto que fez parte da equipa orientada pelo técnico na última temporada. O médio brasileiro poderá fazer parceria com Wendel ou Doumbia no meio-campo, não se descartando a hipótese da utilização de Battaglia, que deve regressar à competição brevemente. No setor mais avançado do terreno, Bruno Fernandes será o membro criativo do ataque juntamente com Vietto. Bolasie e Jesé serão opções num ataque mais móvel, enquanto que Luiz Phellype será a principal referência na área. Para além destes atacantes, duas jovens promessas ficam à espera de oportunidades na equipa A. Falo de Gonzalo Plata e Jovane Cabral, dois extremos com enorme margem de progressão.

Jorge Silas ao lado de Frederico Varandas, presidente do Sporting CP.
Fonte: Diário de Notícias.

O novo treinador do Sporting CP assinou por uma temporada e meia, sendo que esta será decisiva para uma eventual renovação de contrato. Silas já demonstrou ter boa capacidade de comunicação, pelo que a sua missão no clube de Alvalade passará por corrigir e ultrapassar a má fase que a equipa de futebol atravessa, mas sobretudo unir os adeptos de um clube em que a maioria está descontente com o trabalho que a direção está a desempenhar. Será necessária uma verdadeira revolução no seio leonino para reverter a situação que o clube vive.

Artigo revisto por: Miguel Morais

Artigos recentes

Crítica a The Politician

A descrição “comédia dramática” nunca havia sido tão bem aplicada antes. The Politician, uma das mais recentes apostas da Netflix, traz fortes emoções, para além

Ler mais »

te·sou·ro

(latim thesaurus, -i) substantivo masculino 1. Grande quantidade de ouro, prata, coisas preciosas, posta em reserva. 2. Lugar onde se guardam esses objetos (tipicamente escondido)

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *