Atualidade,  Informação

Bélgica sob ameaça de ataques terroristas

Untitled-1

Militares belgas patrulham a cidade. Fonte: Yves Herman/Reuters

De acordo com o gabinete do Ministério do Interior belga, o país pode estar sob uma “ameaça iminente” que requer medidas de segurança apropriadas.

Enquanto o mundo ainda está de luto por causa dos atentados que aconteceram na capital francesa, há uma semana, os ataques terroristas não pararam. Num curto espaço, o hotel Radisson Blu no Mali foi vítima de uma tomada de posse por parte da organização Al-Mourabitoun; o Iêmen foi vítima de um ataque-suicida que provocou a morte de mais 13 civis; na última terça-feira, a Nigéria sentiu o medo do Boko Haram, que, numa explosão, causou cerca de 31 mortos e 72 feridos. Agora a Bélgica poderá ser um dos próximos alvos. O país decretou o estado de alerta máximo para a região de Bruxelas devido à “ameaça iminente” de atentados idênticos aos que aconteceram em Paris.

Segundo o primeiro-ministro, Charles Michel, as autoridades belgas decidiram elevar o alerta de segurança para o nível máximo, depois de terem recebido informações de que poderiam estar envolvidos ataques terroristas nas áreas mais urbanas da cidade. 
“Isto deveu-se a uma ameaça de um ataque de indivíduos com explosivos e armas em vários locais da capital”, explicou o primeiro-ministro.

Ao longo do dia, várias lojas, centros comerciais e espaços públicos fecharam. As autoridades aconselhavam que se evitasse sítios com uma maior concentração de pessoas, como salas de concertos, transportes ou parques públicos. Devido ao nível de alerta foi suspensa a circulação do metro – uma decisão apoiada por Charles Michel e pelo Centro de Crises belga, que pediram ainda às autoridades administrativas dos 19 distritos de Bruxelas o cancelamento de grandes eventos, como jogos de futebol.

A situação tornou-se mais crítica depois de o jornal belga Dernière Heure ter anunciado que foram encontrados explosivos e produtos químicos durante uma operação policial que decorreu na noite da passada sexta-feira em Molenbeek, um bairro no centro da capital. Nesse mesmo dia, uma pessoa, considerada suspeita de estar relacionada com os atentados em Paris, foi detida. Segundo a televisão pública francófona RTBF, o sujeito ainda não identificado tinha várias armas em casa.

As forças militares experimentaram este nível de alerta, pela última vez, em 2007, na sequência da detenção de 14 pessoas que planeavam a detenção do tunisiano Nizar Trabelsi, que preparava um atentado contra a base militar Kleine-Brogel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *