Bicicletas, tulipas, canais, drogas leves, prostituição legal.

Amesterdão pode ser caraterizada de diversas maneiras, mas porque é que deve ser um dos países do top list a visitar na Europa?

Descobre o porquê nas dez coisas que não te podem escapar quando pisares os Países Baixos.

Fonte: Alma de viajante

1 – Antes de mais, os canais. Amesterdão é chamada de “Veneza do Norte” pelos seus mais de cem quilómetros de canais. Neles, até viver se pode! As típicas casas-barco alojam pessoas e são mesmo um ponto turístico, podendo visitar-se algumas dessas casas. Além de serem casa para alguns, os canais são o lugar perfeito para um passeio romântico nos barcos turísticos, ou mesmo para um jantar à luz das velas. Porque não? 

Fonte: Dicas de Amsterdã 

2- Os parques. Amesterdão é a cidade perfeita para respirar ar puro e estar em contacto com a natureza. No espaço urbano, os enormes parques dispõem de diversas atrações, como os lagos, os animais, os cisnes e patos bravos, os cafés e os restaurantes com as famosas stroopwaffles e as poffertjes, que não podem ser esquecidas pelos que lá vão. 

A razão pela qual o ar puro é uma realidade no meio da cidade tem que ver com o facto de o meio de transporte mais utilizado pelos seus moradores, e também pelos turistas, ser a bicicleta, o que permite reduzir substancialmente as emissões de CO2. É por esse meio que é possível explorar da melhor maneira os parques, especialmente o Vondelpark, que dispõe de 470 mil metros quadrados.

Fonte:Guidolapp 

3- Museu Van Gogh. Além da natureza, Amesterdão oferece um lado mais histórico, com diversos museus. O mais visitado na cidade é o museu Van Gogh, com mais de dois milhões de visitantes anuais.

Nas instalações do museu existem mais de 200 pinturas, 500 desenhos e centenas de cartas do artista.

É importante salientar que Vincent Van Gogh morreu com 37 anos e, em toda a sua vida, vendeu apenas um quadro. Atualmente, é um dos pintores mais conhecidos e conceituados em todo o mundo.

Fonte:Awesome Amsterdam 

4- Casa de Anne Frank. Uma experiência que deixa qualquer um sem fôlego. A casa que causa claustrofobia a muitos, onde Anne Frank passou uma longa jornada a refugiar-se dos nazis durante a Segunda Guerra Mundial. Relatos da sua família e recordações espalhadas pelo antigo esconderijo da jovem judia e uma história que marca qualquer um que visite a cidade. 

A visita a este espaço não causa apenas sentimentos passageiros, é capaz de nos comover e de nos fazer voltar atrás no tempo ao percorrer cada parte da sua memória.

Fonte: Lonely Planet

5– Coffee shops. Das memórias mais sombrias da História da humanidade para o lado mais diferente de Amesterdão. Ao contrário do que acontece, por exemplo, em Portugal, as drogas leves são permitidas na cidade holandesa, mas em quantidades individuais e limitadas. As coffee shops não são apenas para quem deseja uma dose de erva, mas são locais turísticos que merecem a visita de todos os que por lá passam, para ver como é que funcionam.

Estas lojas têm várias particularidades interessantes: não é permitido beber bebidas alcoólicas nem fumar tabaco, sendo somente permitido fumar a erva e o haxixe. Para quem não deseje fumar, pode sempre provar um bolo à base de cannabis.

Há 10 anos, havia quase 1000 coffee shops na cidade, mas hoje o que acontece é que esse número se viu reduzido a 150 devido à pressão exercida pelo governo e pelos países vizinhos para reduzir esse tipo de consumo.

Fonte: Tudo sobre amsterdam 

6- Red Light District. A famosa “Rua Vermelha” de Amesterdão. É uma das ruas mais conhecidas na cidade pela sua fama, pelas suas luzes vermelhas, mas, principalmente, pela procura do prazer. Sim, porque a rua está cheia de vitrines, mas sem manequins lá dentro. São mesmo mulheres que se prostituem.

“O negócio mais antigo do mundo” é legal nos Países Baixos desde 1911 e funciona mesmo como um negócio. As mulheres alugam a vitrine onde trabalham e pagam os seus impostos, como qualquer trabalhador holandês.

Algo importante a ter em conta durante um passeio por esta rua é que é estritamente proibido filmar ou fotografar as vitrines.

Fonte: CNN 

7- Praça Dam. Também existem monumentos que merecem uma visita imprescindível. É o caso da praça mais conhecida de Amesterdão, rodeada pelo Monumento Nacional e pelo Palácio Real. Daqui, é possível também ver o famoso Madame Tussauds, o museu com celebridades reproduzidas em cera. 

Como dispõe de um espaço muito amplo, é possível frequentemente ver shows, desde a dança à magia. Se por acaso passares nesta praça com comida nas mãos, é melhor teres cuidado! És capaz de, segundos depois, ter uma dezena de pombos pousados em ti. A praça é normalmente invadida por milhares de pombos que costumam ser alimentados tanto pelos residentes da cidade como pelos turistas.

Fonte: Levarti 

Imagem relacionada

Fonte: Flickr

8-Leidsestraat. Viajar leva-nos, quase sempre, a trazer recordações do país de visita e também a “cuscar” um pouco as suas tendências. Em Amesterdão, o local perfeito para o fazer é numa das ruas mais conhecidas para fazer compras em lojas da moda. A rua encontra-se junto à famosa Praça Leidseplein, um dos centros mais animados da cidade, com uma quantidade enorme de bares, restaurantes e discotecas. Depois de uma tarde de compras, nada melhor do que visitar Leidseplein para terminar o dia!

Resultado de imagem para amesterdao adam lookout

Fonte: The Better Vacation  

A’DAM Lookout. Já andaste num baloiço a 100 metros do chão? Em Amesterdão é possível fazê-lo. É o baloiço mais alto da Europa e fica no topo de um edifício de 21 andares. A partir do baloiço, é possível ter uma vista incrível de 360º da cidade. Mas só para os mais corajosos e livres de vertigens.

10- Zaanse Schans. Não é propriamente em Amesterdão, mas fica apenas a 22 quilómetros da capital Holandesa e, mais uma vez, a visita é imperdível. A paisagem é saída de um conto de fadas, um género de mini cidade onde estão diversos moinhos e casas históricas da Holanda dos séculos XVII e XVIII. É possível visitar um dos símbolos do país, que são os moinhos, e entender melhor a sua função. Em Zaanse Schans, são 11 os moinhos com entrada livre. 

São várias as lojas onde podes encontrar elementos tradicionais Holandeses, como os queijos e os tamancos (podes até ver a sua produção!). Muitos consideram esta zona como um museu ao ar livre, ou um “mundo aparte”, mas a verdade é que várias pessoas vivem neste paraíso.

Resultado de imagem para amsterdam zaanse schans

Fonte: Nordice experience 

Amesterdão é uma das cidades europeias mais atrativas e razões não faltam! Apesar de a sua beleza estar presente ao longo de todo o ano, o aconselhável é visitares a cidade na primavera, visto que no inverno as temperaturas chegam a ser negativas e o ar húmido torna uma visita ao país menos prazerosa. De um lado mais positivo, é na primavera que podes ver o desabrochar das famosas tulipas que são um símbolo não só da cidade, mas de toda a Holanda.

Revisto por Ana Roquete

Artigos recentes

Era uma vez

Versão em forma de tributo de uma Hollywood em transição da sua fase clássica para uma nova era mais escura. O “nono” de Tarantino não

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *