Moda

Conhecer e comprar Humana

Comprar roupa sustentável é cada vez mais fácil, e uma das razões para isso é a marca Humana. A marca é conhecida por vender roupa em segunda mão de boa qualidade e a preços bastante acessíveis.

A Humana é uma associação sem fins lucrativos que tem, desde 1998, como principais objetivos a proteção e preservação do meio ambiente, através da reutilização têxtil, e a ajuda ao desenvolvimento das populações de Moçambique e da Guiné-Bissau, e da população local em Portugal, através de diversos programas.

Fonte: ADPP Moçambique

A marca Humana Secondhand tem, neste momento, lojas espalhadas por toda a Europa, que cumprem objetivos semelhantes aos das lojas s em Portugal: “Encontrei duas lojas quando estava de férias em Roma, e não estava à espera!”, exclama uma cliente.

A prática de comprar a roupa em segunda mão é cada vez mais comum. A consciência ambiental de hoje em dia e os riscos evidentes a nível ambiental mudaram a mentalidade das pessoas quanto ao seu modo de viver. O setor da moda não ficou indiferente.

Esta prática é bastante benéfica para o ambiente, e atenua o aumento da pegada ecológica porque dispensa todo o desperdício de recursos naturais que ocorre na criação de novas peças. Embora ainda haja discriminação para com o ato de comprar roupa usada, esta forma de consumo tem aumentado nos últimos anos. Mas é importante que a população perceba que roupa em segunda mão não significa peças em mau estado ou em más condições, e que significa apenas que, quem as comprou ou recebeu, não lhes dá o uso suficiente para as manter no seu armário, e prefere ajudar outros ao doá-las.

Os preços da roupa na Humana, e em lojas semelhantes, são muito baixos quando comparados a lojas de fast fashion. Estivemos no local e encontrámos uma cliente satisfeita: “Comprei um casaco por nove euros de uma marca na qual este custaria por volta de 25”, afirmou a cliente.

As roupas em exposição na Humana estão sempre em bom estado, pois sofrem um processo de triagem antes de chegarem ao consumidor. Este consiste na seleção das roupas, acessórios e têxteis que foram doados através dos contentores espalhados pela capital.

Fonte: Médio Tejo

Qualquer um pode doar. É apenas preciso fazer uma pesquisa rápida do sítio onde se encontram os contentores verdes com o nome da loja, sendo que muitas vezes as próprias lojas têm os contentores no seu interior.

Alguns dizem que este pode ser um ponto de partida para uma revolução no mundo da moda. O atual método da sociedade de comprar e descartar roupa quando esta perde a sua popularidade pode, assim, dar lugar a um ciclo de trocas constantes.

Fonte da capa: LinkedIn Humana Portugal

Artigo revisto por Ana Damázio

AUTORIA

+ artigos

A Mariana dança desde que se lembra, já dançou Ballet e neste momento dança contemporâneo. Inscreveu-se na secção de Música da ESCS Magazine, por adorar dançar e cantar (não o faz tão bem quanto dança). Ela adora ouvir música, todos os momentos servem para ouvir música e para cada ocasião tem uma playlist diferente. A Mari sente que na nesta secção pode expressar o seu amor com a música e a alegria que sente ao ouvi-la, visto que ela está sempre cheia de alegria.

Está no primeiro ano de licenciatura em jornalismo.

+ artigos

A Catarina tem um prazer pela leitura e pela escrita. Adora música e moda, por isso decidiu ingressar nestas duas secções da magazine. Apaixonada pelas pequenas coisas da vida e pela simplicidade de pegar num papel e numa caneta para escrever. Pretende aprender mais com este novo desafio.