Made In ESCS,  Secções

Da Comunicação à Mudança Para a Esclerose Múltipla

O Prémio Genzyme “Melhor Campanha de Comunicação para a Esclerose Múltipla” abriu candidaturas com o prazo limite de 8 de Novembro e procurou motivar os alunos a envolverem-se com as questões da esclerose múltipla, doença desconhecida pela maioria das pessoas. Este surgiu da iniciativa da ESCS e da agência de comunicação Guess What, bem como a empresa Genzyme, que patrocinou o projecto. Para as questões mais relacionadas com a angariação de fundos, a participação da Call to Action foi fundamental. Reuniu ainda as três principais associações de esclerose múltipla em Portugal: Associação Nacional Esclerose Múltipla (ANEM), Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM), Associação Todos com a Esclerose Múltipla (TEM).

O júri dos trabalhos era composto por sete membros: Dra. Mafalda Eiró-Gomes, da ESCS, Renato Póvoas, da Guess What, Maria de Fátima Abreu, da Genzyme, Madalena da Cunha, da Call to Action, Cristina Saarinen, da SPEM, Lurdes Silva, da ANEM, João Medeiros, da TEM.

Esta foi a primeira edição do concurso da temática que se destinou apenas a alunos e recém-licenciados da ESCS, mais propriamente de RPCE. O concurso contou com a participação de três grupos, todos eles compostos por alunos do terceiro ano. Esta competição desafiava os estudantes para desenvolverem uma campanha num prazo de um ano que ajudasse as três associações na angariação de fundos, a sensibilização e aumento do conhecimento da doença junto dos portugueses e fomentar a integração destes doentes na sociedade. O prémio para o melhor trabalho era aliciante, contando com o montante de 5000€.

A cerimónia de entrega apresentação final dos trabalhos concorrentes ao público e a divulgação dos resultados teve lugar no dia 4 de Dezembro, dia nacional da Pessoa com Esclerose Múltipla, na sala 2P9. Esteve presente quase todo o júri, bem como alguns elementos das entidades envolvidas que quiseram marcar presença neste dia tão importante para as associações e para os alunos envolvidos. Também estiveram presentes vários alunos escsianos dos diferentes cursos.
Depois da apresentação dos trabalhos candidatos, seguiu-se um coffee break bem recheado para todos os estavam no evento. Logo depois, retomou-se a sala e anunciaram-se os vencedores: equipa Múltiplas Energias. As outras duas equipas, SorrirEM e Enter, também viram o seu esforço reconhecido, contando cada uma com uma menção honrosa no valor de 750€.

A equipa vencedora é composta por: Catarina Costa, Catarina Farinha, Hélio Freixo, Inês Veiga e Joana Fidalgo. Questionada acerca do desafio que este concurso representou, a equipa respondeu: “Foi um grande desafio. Não só pelo desconhecimento geral da doença, mas por todo o trabalho representar de alguma forma estas pessoas que tantas vezes esquecemos. O facto de ser uma doença com incidência num público muito jovem alertou-nos de alguma forma e, quando visitámos a SPEM, fez-se um clique e toda a nossa estratégia começou a fazer sentido.”

Relativamente à importância deste desafio, Raquel Sousa, em representação da equipa SorriEM, providenciou o seguinte testemunho: “Aprendi muito com este projeto e tê-lo entregue a tempo foi uma vitória. Deu muito trabalho, sim porque era quase como mais uma cadeira. Mas compensou muito.” Sobre a mesma temática, a equipa Enter partilhou também a sua experiência, sobre a qual referiu: “O desafio que nos foi apresentado acabou por se transformar numa boa experiência. Foi mais do que a técnica, o aplicar dos múltiplos instrumentos que aprendemos com o curso. Julgo que todos deviam participar em projetos que exijam uma forte consciência social, nem que seja uma única vez, pelo impacto que nos causa”.

Desafiantes propostas que revelam o talento e a capacidade dos alunos escsianos em fazerem a diferença no mundo da comunicação. De um cativante desafio, a um passo em frente na desmistificação do problema que é a esclerose múltipla. É de deixar os parabéns a todos os participantes e também um apelo à dinamização destas iniciativas, que procuram explorar as potencialidades de uma boa comunicação e as suas implicações no mundo atual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *