Media

Ginny & Georgia: muito além de Gilmore Girls

Lançada no final de fevereiro, Ginny & Georgia foi uma das mais recentes estreias da Netflix e já se tornou num grande sucesso. Ainda antes da estreia, grande parte do público achou que era uma versão semelhante e barata de um dos maiores êxitos da década de 2000: Gilmore Girls. Mas não é e isso é bom!

Fonte: Caixa de Séries

Sinopse

Dividida em dez episódios de quase uma hora de duração, a narrativa escrita por Brianna Belser, Mike Gauyo e Sarah Lampert tem como premissa uma mãe, Georgia Miller (Brianne Howey), que, após um acidente que matou o seu marido, resolve mudar-se para uma pacata e pitoresca cidade chamada Wellsbury e recomeçar a vida com os seus filhos, Ginny Miller (Antonia Gentry) e Austin Miller (Diesel La Torraca). A história propõe contar sobretudo a relação entre Georgia, uma mulher solteira com 30 anos e jovem para a idade, e a sua filha, Ginny, uma adolescente de 15 anos que costuma sentir-se mais responsável e madura do que a sua própria mãe.

No desenrolar deste universo que se irá revelar severamente misterioso, percebemos que Georgia, após tanto tempo em fuga e a ser perseguida pelos segredos nebulosos do seu passado, está desesperada para mudar de vida e vai para esta pequena cidade à procura da “normalidade”. No entanto, é visível que o passado veio para atormentar esta mãe, mas Georgia está disposta a fazer tudo, literalmente TUDO, pela sua família. Quão longe Georgia Miller irá?

Ginny, Georgia e Austin quando chegam à nova cidade para tentarem ter uma vida normal. Fonte: Cenapop

Esta sinopse pode levar-nos a acreditar em duas coisas. Primeiro, que Ginny & Georgia é apenas mais uma série teen e, segundo, que não vai muito além de Gilmore Girls.

O primeiro episódio

Estou de acordo que, inicialmente, nomeadamente no primeiro episódio, este universo parecia ser apenas mais uma típica série adolescente. E, ainda, que não iria muito longe de Gilmore Girls e outros sucessos adolescentes. Aliás, digo-te já antecipadamente que provavelmente o primeiro episódio vai desiludir-te ligeiramente – dá a sensação de que as produtoras apenas tentam atrair espetadores mais nostálgicos de Rory e Lorelay Gilmore. Sinceramente, é uma verdadeira ‘mess’.  Ginny entra numa nova escola e, pela primeira vez, a adolescente sente-se acolhida e cria um vínculo com um grupo de amigos. Como qualquer outra pessoa, Ginny sente algumas inseguranças e medos e acaba por ter atitudes que podem desmotivar o espetador.

Ainda assim, não te preocupes, porque o resto da série compensa com uma história interessante e misteriosa que agarra qualquer um ao ecrã.

Debate de temas cruciais

É aqui que Ginny & Georgia se distingue de Gilmore Girls. Apesar de se passar num ambiente escolar, a série aborda o preconceito racial, a sexualidade, a saúde mental, a masculinidade, o bullying, a inclusão e a exclusão, o abuso sexual e diversos outros temas importantes.

Fonte: Observatório do Cinema

Ginny é filha de Georgia, uma mulher branca, e de Zion, negro. Por isso, a personagem sente que não pertence a nenhum padrão. Esse questionamento vai sendo abordado, de forma leve, ao longo dos episódios, sobretudo quando Ginny se insere num grupo de amigas brancas e acaba por haver comentários estereotipados. O preconceito racial também é percetível em certos comentários de um professor da escola desta adolescente.

Max com a sua primeira namorada. Fonte: Youtube

Existem inúmeras produções que já dão grande representatividade à comunidade LGBTQIA+. Nesta série, as produtoras apresentam Max (Sara Waisglass), que se torna melhor amiga de Ginny. Para além de Max se declarar lésbica, a narrativa vai muito para além disso, aprofundando este tema de forma progressista, leve e indo para além do senso comum.

Fonte: ScreenRant

Em alguns momentos da série, mas principalmente nos últimos capítulos, a saúde mental torna-se num tema muito importante. A automutilação e os pensamentos suicidas são extremamente bem colocados na série, alertando para a importância de pedir ajuda.

Muito além de Gilmore Girls…

Com a proposta de ser uma comédia dramática, este universo extrapola os típicos romances teen, misturando muitos crimes, mistérios e temas importantíssimos nos dias de hoje. Aliás, o romance entre Ginny e Marcus (Felix Mallard) parecia-me, ao início, mal construído, parecendo ser um pouco Rory comDean em Gilmore Girls, mas, com o desenvolvimento da história, mudei imediatamente de opinião. Marcus é um rapaz que está a sofrer e está a lutar com os seus próprios problemas e é o único que percebe aquilo por que Ginny está a passar. Ajuda-a com problemas que hoje em dia deviam ser ainda mais falados.

Ginny irá entrar num triângulo amoroso, mas Marcus é de quem ela verdadeiramente gosta. Fonte: Tem alguém assistindo?

Não me interpretem mal. Eu sou apaixonada por Gilmore Girls! Mas, de facto, Ginny & Georgia aborda temas mais pesados e importantes, daí a comparação não se justificar. Para além disso, nesta série parece que as produtoras não queriam que faltasse nada e misturaram muita coisa, ficando várias peripécias em aberto. Em Gilmore Girls, o desenvolvimento é mais calmo, relaxante e rotineiro.

Ginny & Georgia ainda não tem uma segunda temporada confirmada, mas é uma série viciante que merece, sem dúvida, muitas temporadas. Já sabes: podes contar com muitas amizades, romances, mistérios, segredos, uma pitada de assassínios e um cheirinho de thriller e muito mais nesta nova aposta da Netflix.

Artigo revisto por Miguel Bravo Morais

Fonte da foto de capa: Netflix

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *