Greve parcial no Metro de Lisboa durante a Web Summit

Os trabalhadores do Metro de Lisboa farão greve em dois dias da Web Summit. Em causa estão as reivindicações salariais, já pedidas na paralisação de 18 de outubro.

O acesso à Web Summit estará condicionado em dois dias – no segundo, dia 6 de novembro, e no último, dia 8 de novembro. Apesar do pré-aviso de greve ainda não ter vindo a público, a dirigente da Fectrans (Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações), Anabela Carvalheira, garantiu ao jornal Público que as greves dos dias 6 e 8 de novembro ocorrerão nos mesmos moldes.

A greve é parcial. Contudo, ainda não estão assegurados os serviços mínimos para estes dois dias de paralisações.

Anabela Carvalheira adianta que o objetivo desta iniciativa não é prejudicar diretamente a realização do Web Summit, mas sim causar mais impacto nas deslocações na cidade. “Cabe ao Governo e administração da empresa resolverem os problemas para que não haja mais transtornos”, admite.

É de relembrar que estas serão a segunda e terceira greves dos funcionários do Metro de Lisboa num espaço de dois meses – tendo em conta que a primeira foi a 18 de outubro.

Passando dos transportes terrestes para os fluviais: já na próxima segunda, dia 5 de novembro, as condicionantes nos transportes vão-se manter. A empresa responsável pela ligação fluvial entre o Barreiro e Lisboa, a Soflusa, continuará em greve, devido a divergências sindicais.


Artigo corrigido por: Joana Silvério

Artigos recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *