‘Knives Out’: o diabo está nos detalhes

Fonte: Lionsgate

Knives Out é o mais recente filme ‘estilo cluedo’. Para mim, nunca são demais, visto que aprecio bastante este género de películas que nos deixam, desde o primeiro minuto, a questionar a inocência de cada personagem que nos é apresentada. Vamos apostando em vários cavalos e, no final de contas, já nada faz sentido. Quanto menos sentido fizer, melhor o filme!

O elenco não deixava muito espaço para o fracasso. É Daniel Craig quem tenta resolver o caso, enquanto detetive Benoit Blanc. Encarrega como seu braço direito a enfermeira privada do falecido, Marta Cabrera, interpretada por Ana de Armas. Um dos suspeitos é interpretado por Chris Evans – neste caso, Hugh Ransom Drysdale. Além de 007 e Capitão América, o elenco de Knives Out conta ainda, por exemplo, com Toni Collette – cuja exibição em Hereditary acaba por dificultar a aceitação desta nova personagem, Joni Thrombey, uma influencer e guru de lifestyle – e Katherine Langford, conhecida pelo papel de Hannah Baker em 13 Reasons Why e como Megan Thrombey em Knives Out. A lista de suspeitos cresce com Linda Drysdale (por Jamie Lee Curtis), Walter Thrombey (por Michael Shannon), Richard Drysdale (por Don Johnson), Jacob Thrombey (por Jaeden Martell), Donna Thrombey (por Riki Lindhome) e Fran (por Edi Patterson).  Legenda: Knives Out conta com um elenco de luxo, do qual fazem parte atores como Daniel Craig, Chris Evans e Toni Collette. 

Fonte: feverup

Harlan Thrombey (por Christopher Plummer) é a vítima. O milionário é encontrado no seu escritório, degolado. Dada a sua fortuna, qualquer um dos seus herdeiros tem motivos plausíveis para cometer o crime. Terá sido a nora, quando viu a sua fonte de rendimento cortada? Ou o filho do milionário, por ter sido expulso do negócio do pai? Ou até mesmo o neto, a quem não tocaria um único cêntimo, segundo o testamento? Não podemos negligenciar a enfermeira que não consegue mentir sem, de seguida, vomitar – se todas as pessoas tivessem esta caraterística, o trabalho dos detetives seria muito mais fácil. 

Knives Out ganha pela peculiaridade de cada personagem e pela quantidade de reviravoltas que se vão sucedendo. É fácil desenvolvermos empatia pelo falecido – pelo menos eu torci desde o início para que, na verdade, estivesse apenas a fingir a sua morte (sim, mesmo depois de ver a sua garganta degolada). Harlan adorava jogos, tendo decorado a sua casa de acordo com esta paixão: de passagens escondidas e estátuas a… facas. Muitas facas. Demasiadas facas, até. 

Confesso que adorei ver Daniel Craig enquanto detetive. Estamos habituados à monotonia e seriedade associadas à profissão, quando, desta vez, recebemos um calculista acessível e simpático. O sotaque complementa os seus raciocínios, tornando-os ainda mais brilhantes. Apesar de, a certo ponto, acharmos que está completamente às cegas, acabamos por nos aperceber de que ‘já viu o filme todo’. 

Ana de Armas é Marta Cabrera, a enfermeira pessoal do morto. Vai ajudar o detetive Benoit Blanc (Daniel Craig) a resolver o caso, participando na sua investigação.  
Fonte: veja.abril

Talvez tenha sido propositado, mas o facto de nos serem apresentadas tantas personagens ao mesmo tempo (durante os interrogatórios, especialmente) pode desviar-nos do verdadeiro propósito. Enquanto estamos a tentar associar um nome a uma cara devíamos estar a tentar associar uma personagem a um crime. Porém, é tanta informação em tão pouco tempo que não conseguimos evitar sentir-nos assoberbados e, acima de tudo, frustrados por não conseguirmos atribuir culpas de forma coerente e imediata.

Feliz ou infelizmente, daria uma péssima detetive, pois nunca acerto no verdadeiro culpado. Por isso mesmo, não consigo dizer-vos se desvendar este mistério é acessível ou, pelo contrário e de acordo com a minha experiência, complicado. No entanto, acho que é aí que reside a graça: estarmos, ao mesmo tempo, chocados com a revelação final, felizes com todos os twists e embaraçados com os nossos palpites ao lado. 

O filme estreou no último trimestre do ano passado e, neste momento, ainda está em alguns cinemas portugueses. Foi nomeado para vários Globos de Ouro e considerado, pela revista Time, um dos dez melhores filmes de 2019. Penso que, dentro do género, é bastante agradável e fácil de ver, passa num instante e tem revelações caricatas. Deixo-vos o trailer para que possam ter uma ideia mais concreta daquilo que é Knives Out

Corrigido por Adriana Alves

Artigos recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *