Million Dollar Beach House: amigos, amigos, negócios à parte

Mesmo a tempo do verão, a Netflix disponibilizou um novo reality show: Million Dollar Beach House. Desta vez, os utilizadores da plataforma de streaming são convidados a passar a conhecer a realidade do imobiliário nos Hamptons. Trata-se de uma localidade em Nova Iorque para onde grande parte dos americanos vão passar férias. Composta por casas de luxo, atraiu a imobiliária Nest Seekers International.

            Apesar de terem lojas em vários pontos do globo, consideraram os Hamptons o local perfeito para a sua nova base. Os seis episódios desta primeira – e única – temporada foram filmados no verão de 2019. Porquê? Porque é a época alta da zona, uma vez que a maior parte das casas são habitadas apenas durante as férias. Pelo que se percebe ao ver a série, muitas vezes os proprietários são aliciados a vender os seus poisos veranis através da ‘money talk’. Neste caso, da ‘million dollar money talk’. Ainda que estejam confortáveis, são relembrados de que podem ter lucro – e não é pouco.

            Assim se movimentam os negócios nos Hamptons. Durante os tais seis episódios – cuja duração está entre os 23 e os 30 minutos –, conhecemos (porque a vida não é só trabalho) quem faz a magia acontecer. A equipa é composta por cinco agentes imobiliários e duas designers de interiores. Os primeiros, como seria de esperar, têm mais tempo de ecrã. J. B. Andreassi é o novato que, chegado de outra agência, almeja conhecer os cantos à casa. É James Giugliano quem o ajuda, colocando-o na sua equipa, pois é o mais bem sucedido. Michael Fulfree é o melhor amigo de infância de J. B. e, agora, trabalham juntos. Também Noel Roberts, sujeito mais misterioso, integra a equipa, tal como Peggy Zabakolas, a única mulher na mesma.            

As designers de interiores, Chloe Pollack-Robbins e Anna Cappelen, têm também um papel importante a cumprir: refazem a decoração das casas de acordo com as caraterísticas dos compradores que estão na mira da agência. Se esta considerar que tal moradia é mais adequada para um solteiro, há que ornamentá-la consoante aquilo de que o mesmo gostaria. Assim, aumentam-se as hipóteses de fechar negócio.


Da esquerda para a direita, temos J. B. Andreassi, Anna Cappelen, Chloe Pollack-Robbins, Peggy Zabakolas, Michael Fulfree, Noel Roberts e James Giugliano.
Fonte: Netflix/Divulgação

Realizar negócios entre os agentes imobiliários da Nest Seekers é a cereja no topo do bolo. Deste modo, só a agência lucra com comissões, não tendo de as partilhar com a concorrência. É também por isso que o espírito de equipa é um requisito. Mesmo assim, como podemos observar através dos nossos ecrãs, nem sempre está presente. As brigas são constantes, tal como a competitividade e o secretismo. O objetivo é serem todos amigos e ajudarem-se mutuamente, mas cada um quer, logicamente, levar a água ao seu moinho.

            Esta produção da Netflix peca, a meu ver, por dar demasiado tempo de antena às picardias entre agentes, quando devia, em vez disso, priorizar a forma como o negócio imobiliário é feito. Se quiséssemos ver reality shows com personagens polémicas, não seria de todo aqui que procurávamos. As casas acabam, muitas das vezes, por ser postas em segundo plano, quando deviam ser o tema principal. Ainda para mais tendo em conta que nenhum dos intervenientes é particularmente interessante. Ao não aprofundarem a parte das casas nem a vida pessoal dos agentes, ficam à superfície e deixam a desejar.

            Contudo, não deixa de ser um bom entretenimento para quem não sabe o que ver durante a tarde ou quer fazer uma mini maratona durante a noite. É deveras curioso testemunhar a calma que estas pessoas aparentam ter quando o assunto envolve milhões de dólares. Mesmo sendo encenada, é de louvar. Isso e a falta de entusiasmo nas suas faces ao atravessarem as portas que dão para autênticos palácios, com mais de uma dezena de quartos e de casas de banho, com jardins enormes, tetos de partir o pescoço, tecnologia de ponta, spas, banhos turcos, saunas, campos de ténis, salas de cinema, ginásios, pistas de bowling… preciso de continuar? Deixo-te um vislumbre, através do trailer.

            A Netflix ainda não confirmou uma continuação, apesar de os principais interessados deixarem clara a intenção de expandirem o programa. Se mesmo assim optares por dar uma oportunidade a Million Dollar Beach House, prepara-te para excentricidade, contratempos, persuasão, elegância e, acima de tudo, grandes vistas para o mar.

Artigo revisto por Ana Rita Sebastião

Artigos recentes

The (not so) Good Place

Estás à procura de uma série curta e divertida para fazer binge-watching durante a quarentena? The Good Place pode ser a melhor opção. Esta série

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *