The (not so) Good Place

Estás à procura de uma série curta e divertida para fazer binge-watching durante a quarentena? The Good Place pode ser a melhor opção. Esta série estreou em 2016 e terminou, após quatro temporadas, no início deste ano. Se ainda não a conheces, lê este artigo e dá-lhe uma oportunidade.

Ao contrário da maioria das séries que conhecemos, esta história começa depois da morte. Quando Eleanor Shellstrop (interpretada por Kristen Bell) morre, esta é enviada para o Good Place, um lugar para pessoas que passaram a sua vida a fazer o bem, onde a felicidade é eterna e cada pessoa tem a sua alma gémea. Aqui, cada bairro é único e tem as suas peculiaridades, sendo desenhado especialmente para os seus residentes que também são selecionados cuidadosamente, de forma a que todos se deem bem entre si. Michael (interpretado por Ted Danson) é o arquiteto do bairro de Eleanor e também a pessoa que coordena tudo o que lá se passa. É ele que explica a Eleanor que há um Good Place e um Bad Place, que lhe mostra o bairro e que lhe apresenta a sua alma gémea, Chidi Anagonye (William Jackson Harper), um professor apaixonado por ética e filosofia que consegue ser muito indeciso. Até agora, tudo parece bem, mas acontece que Eleanor não pertence ao Good Place.

Eleanor Shellstrop. Fonte:seriemaniacos.tv

Eleanor Shellstrop não se considera uma pessoa má, mas reconhece que também não foi particularmente uma boa pessoa durante a sua vida e definitivamente não pertence ali. É então que Eleanor pede a Chidi que lhe ensine ética e a ajude a tornar-se numa pessoa melhor e a merecer o seu lugar neste sítio tão seletivo.

Também ficamos a conhecer outros personagens que tornam o enredo ainda mais divertido e envolvente, como a Janet (D’Arcy Carden), uma espécie de base de dados em corpo humano que contém todo o conhecimento do mundo e cuja missão é ajudar os residentes do bairro; Tahani Al-Jamil (Jameela Jamil), uma jovem adulta da alta sociedade que fez várias boas ações durante a sua vida, mas que consegue ser muito snob, e a sua alma gémea Jianyu, ou Jason Mendoza (Manny Jacinto), como iremos perceber mais tarde, um monge budista que, aparentemente, obedece a um rigoroso código de silêncio. São estas as personagens, tão diferentes entre si, que formam o elenco principal e em quem a história se centra, existindo ao longo das quatro temporadas vários flashbacks que nos mostram como eles eram e o que fizeram na sua vida terrestre.

Jason, Tahani, Michael, Janet, Chidi e Eleanor. Fonte: Comunidade Cultura e Arte

No fundo, posso dizer-te que esta é uma das séries mais engraçadas que já vi, com vários plot twists e surpresas pelo meio. Além do esperado romance, da amizade e de certas questões éticas abordadas à medida que o enredo se desenvolve, podemos sempre contar com um humor verdadeiramente divertido e inteligente em cada episódio. The Good Place apresenta um conceito muito diferente de tudo o que já vi e é isso que torna esta série tão boa e hilariante.

Assim, deixo-te a sugestão de uma série realmente cativante, que nos prende ao ecrã desde o primeiro episódio e que nos deixa com vontade de nunca mais parar de a ver. Em apenas vinte minutos por episódio, podemos ver como o tema da vida após a morte é tratado de forma muito natural, leve e sempre com humor.

Artigo revisto por Ana Rita Sebastião

Artigos recentes

The (not so) Good Place

Estás à procura de uma série curta e divertida para fazer binge-watching durante a quarentena? The Good Place pode ser a melhor opção. Esta série

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *