Murder Mystery: Quem matou o milionário?

Uma viagem de lua de mel que tinha tudo para correr bem, mas alguém morre e é preciso deixar o romance de lado e procurar o assassino. 

Nick Spitz, um polícia que se faz passar por detetive, prometeu à sua mulher, no dia do casamento, uma viagem à Europa. Quinze anos passaram desde essa promessa e Audrey ainda esperava ansiosamente pela sua aventura no outro lado do mundo. No 15º aniversário de casamento, Nick vê-se obrigado a finalmente organizar a viagem, apesar do baixo orçamento de que dispunham.

FONTE: REVISTA PEOPLE, RETIRADO DE: https://people.com/movies/jennifer-aniston-adam-sandler-first-look-netflix-murder-mystery/
CREDITOS: SCOTT YAMANO/NETFLIX

Durante o voo, Audrey, que não conseguia dormir devido ao ressonar do marido, vai dar um passeio até à zona da primeira classe. É lá que conhece o jovem encantador Charles Cavendish, o sobrinho do milionário Malcom Quince, que os convida para embarcarem no iate do seu tio para uma viagem pelos melhores portos da Europa. O casal acaba por aceitar e rapidamente se apercebem de que aquela família não tinha nada de normal. Malcom Quince, o milionário, tinha organizado a viagem para anunciar que ia retirar todas aquelas pessoas do seu testamento, exceto a sua mais recente esposa Suzi. E é no momento em que Malcom ia assinar o documento que as luzes se apagam e alguém o mata. Quem assassinou o milionário? É o que Audrey e Nick vão tentar descobrir enquanto meio país anda a persegui-los, pois eles são, na verdade, os principais suspeitos.

Murder Mystery tem um pouco de tudo: ação, mistério, suspense e humor (muito humor, aliás). Adam Sandler e Jennifer Aniston retornam ao grande ecrã e trazem a alegria que os caracteriza com eles. O riso é fácil e a história cativante. Apesar de o argumento não ser de génio, a verdade é que poucos são os que vão adivinhar de imediato quem é a verdadeira mente por detrás da morte de Malcom Quince. Todas as personagens que estavam dentro daquele barco tinham razões para querer pôr fim à vida do milionário e aos poucos e poucos a história de cada um deles é revelada. Ainda assim, o filme deixa muitas questões por responder e há cenários que são deixados em aberto. Cabe à imaginação do espetador tentar entender todos os pedaços das histórias que ficaram por contar.

O filme tem sempre uma conotação muito leve apesar da premissa principal. São várias as referências a outros filmes que podemos encontrar durante a película, como é o caso da última cena, onde vemos as personagens num comboio Expresso Oriente, como referência ao filme Crime no Expresso Oriente, ou até mesmo a cena da morte do milionário que parece saída do jogo Cluedo. O filme não é o melhor que Aniston ou Sandler já fizeram, mas consegue ser um bom momento de diversão e uma boa forma de melhorar um mau dia. 

O filme está disponível na Netflix e em apenas três dias já tinha sido visto por 31 milhões de pessoas, tornando-se assim o melhor fim de semana de estreia de um filme da plataforma streaming.  

Artigo revisto por Sara Tomé

Artigos recentes

Era uma vez

Versão em forma de tributo de uma Hollywood em transição da sua fase clássica para uma nova era mais escura. O “nono” de Tarantino não

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *