Música

Nenny: o fenómeno da música portuguesa além-fronteiras

Marlene Tavares, mais conhecida como Nenny, vive no Luxemburgo. Apesar  de afastada do país que a viu nascer, é nele que conquista os seus maiores fãs. Subindo a palcos como o do MEO Sudoeste, tem deixado Portugal aos seus pés – mas o país tornou-se pequeno para o talento da artista. 

Foi em 2019 que lançou o seu primeiro single, “Sushi”, com mais de 14 milhões de visualizações no YouTube, e que seria a sua rampa de lançamento. Um ano chegou para mudar a vida de Nenny: depois do lançamento do seu EP “Aura” e da nomeação em duas categorias – “Artista Revelação” e “Canção do Ano” – ao “Play: Prémios da Música Portuguesa”, a menina-mulher de apenas 18 anos tem vindo a representar a cultura portuguesa e africana pelo mundo. 

Fonte: Genius

Em janeiro deste ano estreou-se em palcos internacionais, atuando na plataforma de música COLORS, a mesma onde já atuaram Dino D’Santiago e Mayra Andrade. Neste que é nada mais nada menos do que um dos programas de música mais prestigiados da atualidade, Nenny encantou com uma performance de “Tequila”, mas ainda houve espaço para a estreia de mais uma música: “Wave”, que podes ver e rever aqui.

Mas não há limite para Nenny e a artista continua a espalhar talento pelo mundo fora. No próximo dia 23 de abril será a vez de atuar no evento que junta o Tiny Desk ao AFROPUNK: Tiny Desk Meets Afropunk. O projeto criado pela NPR Music junta-se pela primeira vez ao festival AFROPUNK, que procura aliar o ativismo à comunidade criativa, celebrando a cultura negra no mundo. Durante a pandemia, o Tiny Desk foi obrigado a reinventar-se, pelo que acabou por levar a série de concertos para o digital, onde os artistas fazem as performances através de casa. No novo formato, “Tiny Desk (Home) Concerts” já passaram vozes inconfundíveis do grande público como Justin Bieber, Dua Lipa ou, mais recentemente, Demi Lovato.

Fonte: NPR Media 

Nenny não se define com rótulos, mas seria injusto não a incluir num pacote de hip-hop multicultural onde cabem tantos géneros musicais distintos. Acumulando temas e milhões de visualizações, a promissora “filha dos filhos do Rossi” segue com a simplicidade de quem corre atrás dos sonhos sem tirar os pés da realidade. 

Por Ana Filipa Domingos 

Imagem de capa / Créditos: Espalha-Factos

Artigo revisto por Ana Sofia Cunha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *