Orçamento de Estado para 2019 foi aprovado na generalidade

Esta terça-feira, o Orçamento de Estado para o próximo ano, proposto pelo governo de António Costa, foi aprovado na generalidade num debate realizado na Assembleia da República.

 

O OE2019 contou com os votos favoráveis de PS, PCP, BE,PAN e “Os Verdes”, e os votos contra de PSD e CDS-PP.

Para Carlos César, presidente do grupo parlamentar do PS, com este Orçamento de Estado “ganharam os portugueses e ganhou Portugal, foi esse o caminho que fizemos nos últimos três anos”, salientando também que “não nos deslumbramos com os êxitos alcançados”.

Carlos César salienta ainda que o partido irá receber as propostas de alteração a este orçamento com “inteira liberdade” e “sentido de responsabilidade”.

Relativamente à oposição, Fernando Negrão, líder parlamentar do PSD, deixa duras críticas ao Orçamento de Estado, que na sua opinião é “um embuste, um logro ou, em bom português, uma aldrabice”. O deputado acusa ainda o primeiro-ministro de “controlar um teatro de marionetas”.

Entre os objetivos presentes neste Orçamento de Estado, consta reduzir a taxa de desemprego na ordem dos 6%, ter uma dívida que ronde os 118,5% do Produto Interno Bruto (PIB) e chegar a um défice de 0,2%.

Durante o debate desta terça-feira foi também oficializado o anúncio feito por Mário Centeno, nesta segunda-feira, de uma alteração do adicional ao Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP), o que leva uma redução do preço da gasolina em três cêntimos, não havendo nenhuma alteração em relação ao gasóleo.

Artigo corrigido por Ana Rita Curtinha

 

Artigos recentes

Dicionário web-summitês-português

            A páginas tantas do Livro de Desassossego, Fernando Pessoa – ou Bernardo Soares, como preferirem – escreve, a respeito a língua portuguesa, a afirmação

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *