Os livros que marcaram os meus 20 anos

Nestas duas décadas que já tive o privilégio de viver (maneira de fazer parecer 20 anos muito tempo de vida) muitos foram os livros e as obras que me inspiraram, influenciaram e mudaram a minha perspetiva do mundo. Ou não: há também aqueles que simplesmente me proporcionaram bons momentos de diversão, descontração e – aquilo que para mim deve ser essencial na leitura – prazer. Nesse sentido, vou enumerar alguns dos livros que mais marcaram estes meus 20 anos de vida e que ainda hoje têm um lugar especial na minha prateleira.

Saga Harry Potter, J.K. Rowling
A saga que marcou a infância da maioria das pessoas da minha geração, Harry Potter, foi um marco na cultura popular mundial, tornando-se num dos franchises mais rentáveis do mundo.

Trilogia Senhor dos Anéis, J.R.R. Tolkien
A alta fantasia é um universo que sempre me fascinou e ninguém o faz melhor que Tolkien. Esta trilogia é uma das séries de livros que mais me inspiram e que mais prazer me dá conhecer.

Pinoquio, Carlo Collodi
Foi, de que eu tenho memória, o primeiro “livro grande” que li. Estaria no 3º ano quando o li pela primeira vez e foi uma agradável surpresa descobrir que havia muito mais para descobrir do que a adaptação da Disney dava a conhecer.

1984
1984 é, sem sombra de dúvida, um dos meus livros preferidos. Uma obra prima de George Orwell, este foi o livro que me introduziu a paixão pela literatura distópica.

Animal Farm
Orwell é um dos meus escritores preferidos e nesta lisa tem duas entradas. Animal Farm é uma alegoria perfeita da Revolução Bolchevique e do que se passou na Rússia comunista.

Os Lusíadas
A única obra de literatura épica de Portugal, a grande obra da nossa nacionalidade, Os Lusíadas, não podia deixar de figurar nesta lista. Camões, o grande embaixador da língua portuguesa, tem nesta epopeia o expoente máximo da literatura renascentista do nosso país.

Admirável Mundo Novo
Aldous Huxley é, na minha opinião, um dos mestres da literatura utópica/distópica, a par de Orwell. Neste livro, marcou-me muito a multiplicidade de formas de controlo de mentalidades que existem e que, com uma análise não tão profunda, podemos encontrar nos nossos dias.

O Rapaz que Ouvia as Estrelas
Escrito por Tim Bowler, este romance fala-nos da luta de um rapaz com um dom fantástico de ouvir o som do universo.

Saga Cherub
Uma organização que acolhe jovens órfãos ou abandonados? Que os treina para serem espiões e agentes secretos? Que os envia para realizarem missões secretas por todo o mundo? Cherub é um mundo em que todos nós sonhámos viver.

Mensagem
Expoente máximo do misticismo de Pessoa, Mensagem foi o único livro publicado em vida daquele que muitos consideram um dos maiores e mais enigmáticos escritores do nosso país. Este livro incentivou-me a descobrir mais da lírica pessoana e da sua vastíssima obra literária.

Artigos recentes

Um adeus a Luis Sepúlveda

Um mês depois da sua morte devido à covid-19, Luis é ainda relembrado – com uma história de vida incrível, certamente memorável para muitos. Escritor,

Ler mais »

Problemas maiores, Carlos?

Claro que eu não discordo totalmente do ponto fulcral. Há problemas maiores. Haver pessoas a morrer é pior do que eu não ter conseguido celebrar

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *