Portugal e o Covid-19

Portugal entrou em Estado de Calamidade. Atualmente há mais de 27 500 casos confirmados de covid-19 em Portugal. Cerca de 1 135 pessoas perderam a vida devido à doença, e 2 549 conseguiram recuperar. Após dois meses e meio de confinamento obrigatório para toda a população, lentamente alguma normalidade volta às ruas. Ainda há restrições, sendo obrigatório o uso de máscara em estabelecimentos comerciais, escolas, e transportes públicos.

Numa altura ainda de muita incerteza, a ESCS MAGAZINE compilou alguns acontecimentos que marcaram esta semana.

Abertura das praias a prática desportiva e a pesca lúdica

António Pedro Santos/Lusa

Após o anúncio do plano de desconfinamento do Governo, algumas praias da Zona Metropolitana de Lisboa vão poder receber praticantes de desporto e de pesca lúdica.

Os munícipes de Cascais vão poder praticar desporto durante tempo ilimitado nas praias a partir desta semana, segundo o anúncio da Câmara Municipal.

“A autarquia não aplicou um tempo limite para a prática dos desportos associados ao litoral, contamos com o bom senso dos praticantes”, afirmou uma fonte autárquica à Agência Lusa. As regras são transmitidas aos cidadãos através de “suportes físicos e digitais”.

Já no concelho de Mafra a autarquia aprovou outras medidas. Os munícipes vão ter um tempo limite para usufruírem das praias da região. A Câmara Municipal anunciou que o tempo limite para a prática de pesca será de duas horas e para a prática de surf será de uma hora e meia. A realização de caminhadas só pode durar uma hora no máximo. O Presidente da Câmara explicou à Lusa que esta decisão serve para evitar aglomerações e o risco de contágio.

Também em Sintra foram aplicadas medidas para aceder às praias. A autarquia permite a prática de desporto individual ou com um máximo de duas pessoas juntas, de desportos aquáticos e de pesca lúdica.  Todos são obrigados a cumprir a distância de segurança, dois metros entre pessoas. Não são permitidos banhos de sol ou uso do areal para refeições. Quaisquer situações de incumprimento podem ser denunciadas pela Polícia Municipal à Polícia Marinha.

“Com a passagem do estado de emergência para o de calamidade, e para preparar um controlado desconfinamento em contexto de pandemia covid-19, a autarquia atenua as medidas restritivas referentes às praias, mas sempre acompanhando pelas devidas salvaguardas para a saúde pública, definidas pelas entidades sanitárias competentes, bem como pelo Governo”, afirmou, em comunicado a Câmara Municipal de Sintra.

Celebrações no Santuário de Fátima

Paulo Novais/EPA

As celebrações da Peregrinação Internacional Aniversária no Santuário de Fátima acontecem a 12 e 13 de maio. O recinto do local estará encerrado a peregrinos devido às regras sanitárias do plano do Estado de Calamidade.

“Este é um momento doloroso: o santuário existe para acolher os peregrinos e não o podermos fazer é motivo de grande tristeza; mas esta decisão é igualmente um ato de responsabilidade para com os peregrinos, defendendo a sua saúde e o seu bem-estar”, afirmou Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima.

O Governo autorizou, segundo o despacho publicado esta semana, a presença de funcionários essenciais às celebrações, desde que seja cumprida a distância de segurança. O documento explica que os “celebrantes e demais elementos necessários à celebração, convidados do Santuário de Fátima e respetivos funcionários, os quais devem observar o distanciamento físico de dois metros entre si”.

O Executivo português justifica esta decisão com a relevância que esta celebração tem para a comunidade católica em Portugal; assim como a liberdade religiosa, presente na Constituição da República, que abrange o direito de celebração de cerimónias religiosas.

Serenata Monumental em Coimbra

A Serenata Monumental marca o início da Queima das Fitas todos os anos em Coimbra. Este ano a pandemia do Covid-19 obrigou o tradicional público de estudantes a assistir à cerimónia pela Internet. Esta solução permitiu o cumprimento das regras de distanciamento social.

A transmissão através do Youtube e da plataforma Zoom teve início à meia-noite, na noite de quinta-feira para sexta-feira. O grupo “Capas ao Luar” da Secção de Fados da Associação Académica de Coimbra ficou responsável pela música.

A Queima das Fitas também foi adiada para outubro devido à pandemia. Segundo o secretário-geral do evento, em declarações ao Público, há planos para realizar uma segunda serenata nessa altura. Leandro Marques afirma que ambas as cerimónias são importantes na vida dos estudantes universitários e a organização não quer “privar os estudantes disso”.

Artigos recentes

Deve o humor ter limites?

Assistimos hoje ao contrassenso conflituoso entre a liberdade de expressão e a hegemonia do politicamente correto. Se, por um lado, somos ativistas do “sê quem

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *