Atualidade,  Informação

Refugiados não querem vir para Portugal

Portugal disponibilizou-se perante a União Europeia para receber mais de quatro mil refugiados. Até ao Natal vão chegar apenas cinquenta provenientes da Grécia e da Itália. Desde o inicio da crise migratória apenas setecentos refugiados foram recolocados em toda a Europa.

Portugal disponibilizou-se mas os refugiados estão a recusar. O problema será a burocracia, dizem as autoridades europeias, mas o certo é que até ao Natal chegam a território nacional apenas meia centena dos mais de quatro mil refugiados que estavam previstos chegar até ao final do ano.

O diretor nacional adjunto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), em declarações ao Diário de Noticias, afirma que a recolocação de refugiados “está a ter dificuldades” devido à burocracia mas também “porque eles recusam viajar para Portugal”. Luis Gouveia diz ainda que a Plataforma de Apoio aos Refugiados tem lugar para mil destes emigrantes (4754 no total), mas foram oferecidos “mais de três mil”.

Entretanto, a presidente do Conselho Português para os Refugiados (CPR), Teresa Tito Morais, já veio dizer não ter informação concreta que confirme a recusa dos refugiados em virem para Portugal. “Contudo, não posso deixar de chamar a atenção para a grande inabilidade com que a Europa e os Estados europeus continuam a lidar com este problema “, argumentou.

A Comissão Europeia já fez saber que os refugiados que recusem ser recolocados num país ficam automaticamente excluídos do sistema europeu de acolhimento. Apenas poderão pedir asilommo pais onde se encontram. A porta-voz do executivo comunitário, Natasha Bertaud, reafirmou que na recolocação “não se periga ninguém a ir para onde não quer. É uma oferta, não é obrigatório.

Até outubro, apenas 700 refugiados foram recolocados em toda a Europa desde a crise de refugiados: a mais grave desde a Segunda Guerra Mundial. O plano definido prevê a recolocação de 160 mil refugiados. Grande parte destes migrantes continua nos centros de acolhimento e registo em Itália e na Grécia.

Chegam à Europa cerca de cinco mil refugiados todos os dias. A maioria pretende seguir para os países do norte da Europa como a Alemanha e a Suécia. Vão em busca de trabalho bem remunerado e um melhor nivel de vida longe do clima de guerra vivido nos seu países de origem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *