Seis jornalistas turcos condenados por supostas ligações a golpe de estado

Um tribunal turco condenou, na sexta-feira, sete jornalistas por ligações à tentativa de um golpe de estado em 2016. As durações das penas variam entre dois e quatro anos de prisão. Os arguidos já mostraram intenção de recorrer.

Seis jornalistas e um trabalhador do jornal Sözcü foram condenados à prisão por supostas ligações à organização que fez a tentativa de golpe de estado de julho de 2016. O jornal é conhecido por ser crítico do Presidente Recep Tayyip Erdogan e das suas políticas. Segundo a Agência Lusa, os arguidos são acusados de apoiar o golpe de estado pelas notícias publicadas no Sözcü, algumas no dia do acontecimento.

A duração das penas varia entre dois anos e quase quatro anos. A mais pesada recai sobre o diretor da publicação diária, Metin Yilmaz, com três anos e seis meses. Os jornalistas negam as acusações e já demonstraram intenção de recorrer.

A tentativa de golpe de estado em julho de 2016 matou cerca de 250 pessoas. Ancara acusa Fethullah Gulen, um clérigo muçulmano exilado nos Estados Unidos, e os seus seguidores de criarem um movimento contra o governo turco.

O Comité de Proteção de Jornalistas coloca a Turquia no segundo lugar da lista de países com mais jornalistas presos.

Artigo revisto por Ana Rita Sebastião

Artigos recentes

Dicionário web-summitês-português

            A páginas tantas do Livro de Desassossego, Fernando Pessoa – ou Bernardo Soares, como preferirem – escreve, a respeito a língua portuguesa, a afirmação

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *