Será normal ter uma Crush por Doughnuts?

Donut, doughnut, rosca, rosquinha. Qualquer que seja o seu termo, trata-se daquela massa açucarada frita, atualmente decorada e coberta por vários sabores. Convencionalmente, tem formato de anel, a menos que seja recheada, preenchendo o furo do meio. Embora a sua origem seja controversa, sabe-se que eram referenciados como olykoek, “bolo oleoso” em holandês. Quando chegaram aos Estados Unidos, viraram a sensação que hoje se revelam. Os americanos até lhes dedicaram um dia, o National Doughnut Day, celebrado na primeira sexta-feira do mês de junho, como homenagem às mulheres que serviam doughnuts aos soldados durante a I Guerra Mundial. O recorde de maior doughnut pertence à Austrália, que, em 2007, juntou 90,000 doughnuts para formar um gigante (em honra do filme The Simpsons).

Pessoalmente, nunca fui muito fã de doughnuts. Achava que eram, de facto, demasiado oleosos e enjoativos. Simplesmente não percebia qual era o seu encanto. Agora, depois de provar os da Crush Doughnuts, mudei de opinião. Vê porquê!

Uma imagem com alimentação, mesa, interior

Descrição gerada automaticamente

Fotografia de Mariana Coelho

O que é a Crush Doughnuts?

“Crush Doughnuts” é o nome da nova marca de doughnuts que está a fazer furor por Lisboa. Apesar de ser um projeto recente, tendo começado em setembro do ano passado, corre de vento em popa. A Crush funciona como pop-up no restaurante Ground Burger.

Surgiu devido a um “amor de férias como aqueles a que resistimos dizer adeus”, como afirma Caroline Eng, a responsável pelo projeto. Tal como eu, não era fã de doughnuts, porque nunca a tinham agradado: nem o aroma, nem o sabor, nem os toppings. Numa viagem pelos Estados Unidos, provou os “real ones” e entendeu o verdadeiro conceito destes bolinhos. Juntou 2+2 e, uma vez que não havia nada desse género em Lisboa, decidiu arriscar. Porque quem não arrisca, não petisca doughnuts! Nenhum lugar seria melhor do que a capital, uma vez que “os portugueses são apaixonados (e exigentes) quando se trata de boa comida”, como relembra Caroline.

Assim, com todo o conhecimento que acumulou após a sua estadia na América, encontrou a fórmula para os doughnuts perfeitos: o processo artesanal. Como a pressa é inimiga da perfeição, a equipa da Crush tira tempo para fazer cada doughnut – “Fazemos tudo de forma lenta e manual, com rigorosos padrões de qualidade, higiene, ingredientes excecionais e muito carinho, para entregarmos exatamente aquilo que gostaríamos de consumir”.

O preço dos doughnuts varia entre os 2,95€ e os 5,95€. O preço reflete a sua qualidade. São confecionados de forma singular, com ingredientes de topo, tais como baunilha de Madagáscar, chocolate Valrhona, chantilly caseiro, canela mexicana e ingredientes bio. Não são os típicos doughnuts industrializados a que nos habituamos. Dá-lhes uma oportunidade! Não faz mal pecar de vez em quando.

Uma imagem com terra, edifício, interior, chão

Descrição gerada automaticamente

Fonte: Crush Doughnuts

Mas, afinal, o que é um pop-up? E porquê no Ground Burger?

O conceito de pop-up é relativamente recente: acontece quando uma marca opta por dividir um espaço com outra marca na loja desta última durante um período reduzido de tempo. O objetivo é apalparem o terreno, ficando a conhecer o público e os seus padrões de consumo. A Crush aliou-se ao Ground Burger – uma hamburgueria em São Sebastião – pela sua popularidade. “Trata-se de um restaurante que, assim como nós, é artesanal e americano e preocupa-se com a qualidade dos seus ingredientes e com todo o processo de produção artesanal.” A sua localização também ajudou, visto que está situado à saída do metro de São Sebastião, estação esta onde se intercetam a linha azul e a vermelha. “Aquela zona conjuga movimentos de estudantes, trabalhadores, turistas rumo à Gulbenkian ou saídos do El Corte Inglés”.

O pop-up está aberto de quinta-feira (novidade!) a domingo, a partir das 10h da manhã até esgotar. Inicialmente era para ser temporário, decorrendo apenas ao fim-de-semana, mas “As pessoas pedem mais dias de pop-up e nós cedemos”. Tenta ir cedo para não correres o risco de o teu sabor esgotar! Aponta a morada: Avenida António Augusto Aguiar, 148A R/C 1050-021 Lisboa – Portugal (Ground Burger).

Uma imagem com interior, mesa, parede, alimentação

Descrição gerada automaticamente

Fotografia de Mariana Coelho

Mas não desesperes, a Crush não permanecerá um pop-up para sempre. “Temos clientes que vêm todas as semanas, desde que iniciámos a venda. Há clientes que chegam a viajar durante uma hora para vir provar os doughnuts, vindos de zonas mais distantes, como o Porto ou o Algarve. Os doughnuts cativaram um espacinho no coração do público e essa é a melhor confirmação para o trabalho sério que temos realizado”. Deste modo, graças ao facto de o feedback do público estar a ser espetacular, a MAGAZINE pode revelar-te que ainda em 2019 será possível visitares a nova casa definitiva da Crush Doughnuts! “Sabemos que a rotina das pessoas que estudam, trabalham e cuidam dos filhos é muito corrida e valorizamos o tempo dos nossos clientes, portanto, acreditamos que estar o mais disponíveis possível é a maior prova da nossa consideração e apreço”.

A minha experiência com a Crush Doughnuts

Tive a oportunidade de visitar o espaço e de conhecer as iguarias. Ao chegar ao Ground Burger, é impossível não reparar no quanto tudo é instagramável. Fiquei com o rolo da câmara do telemóvel cheio! O espaço é moderno e lindo, os doughnuts são todos coloridos e apetitosos, até as caixas são bonitas! Isto porque, como sabem, primeiro comemos com os olhos.

Uma imagem com alimentação, café, mesa, caixa

Descrição gerada automaticamente

Fotografia de Mariana Coelho

Depois de muito ponderar (a escolha é muita e queria provar tudo!), optei pelo Strawberry and Cream, pelo Raspberry Love, o Salted Caramel e o Homemade Nutella (por ordem, na fotografia em baixo). Tenho a dizer que todos eles são bastante grandes e saborosos. A massa é super fofa e os ingredientes estão equilibrados: os doughnuts não são demasiado doces nem exageradamente recheados. Não consegui acabar tudo de uma vez, pelo que tive de levar o resto para casa. Sim, eles têm opção de take-away! Podes escolher entre uma série de caixas para transportares o teu precious. Tens caixas para um, para quatro e para seis doughnuts (claro, podes sempre levar mais que uma!).

No geral, adorei a experiência. Staff muito simpático e prestável, doughnuts dispostos de forma organizada e esteticamente agradável, atendimento rápido e eficiente e, acima de tudo, doughnuts diferentes de todos aqueles que já tinha provado até hoje. Depois de provar os doughnuts da Crush, percebi que afinal gosto (bastante) desta sobremesa. Ainda não estás convencido/a? Então, lê o menu e fica a conhecer os 11 sabores disponíveis:

  • Cinnamon & Sugar – 2,95€

Massa de brioche fermentada por 24 horas, cobertura de canela mexicana com açúcar.

  • Vanilla Glazed – 3,95€

Massa de brioche fermentada por 24 horas, glacé de grãos de baunilha.

  • Raspberry Love – 4,95€

Massa de brioche fermentada por 24 horas com glacé de framboesa, chocolate branco Valrhona e côco tostado.

  • Dulche & Almonds – 4,95€

Massa de brioche fermentada por 24 horas, cobertura de doce de leite com amêndoas tostadas e caramelizadas.

  • Peanut Butter Dream – 4,95€

Massa de brioche fermentada por 24 horas, glacé de manteiga de amendoim e chocolate ao leite Valrhona, amendoim caramelizado.

  • Key Lime “Pie” – 5,95€

Massa de brioche fermentada por 24 horas, creme de lima Key, merengue suíço, farofa de Graham cracker, raspas de limão cristalizadas.

  • Homemade Nutella – 5,95€

Massa de brioche fermentada por 24 horas, chocolate amargo e recheio de avelã, cobertura de ganache de chocolate negro.

  • Tres Leches – 5,95€

Massa de brioche fermentada por 24 horas, molhada com o clássico de três leites e um toque de rum. Base encrustada com chocolate branco e decorada com merengue caseiro queimado.

Existem três novas adições ao menu:

  • Crush On You 5,95€

Massa de brioche fermentada por 24 horas, glacé de morango, recheio de creme de baunilha de Madagáscar, decorado com chantilly de mascarpone e morango fresco.

Uma imagem com bolo, alimentação, interior, sentado

Descrição gerada automaticamente
Fonte: Crush Doughnuts

  • Boston Cream 5,95€

Massa de brioche fermentada por 24 horas, ganache de chocolate Valrhona, pérolas crocantes de chocolate e recheio de baunilha.

Uma imagem com parede, mesa, interior, sentado

Descrição gerada automaticamente
Fonte: Crush Doughnuts

  • Tiramissú – 5,95€

Massa de brioche fermentada por 24 horas, molhada com calda de Kahlúa, base encrustada com chocolate, decorado com creme de mascarpone e 100% cacau em pó Valrhona.

Uma imagem com pessoa, alimentação, mesa, prato

Descrição gerada automaticamente

Fonte: Crush Doughnuts

Apesar de ser uma escolha difícil, a mentora da Crush elege o Tres Leches e o Tiramissú como os seus preferidos! Quanto à preferência do público, os reis são o Homemade Nutella e o Key Lime Pie. Dá um saltinho a São Sebastião e elege o teu favorito. Se não te der jeito, podes sempre encomendá-lo através da app Glovo.

Ainda no tópico de apps, a Crush conta com mais de 18 mil seguidores no Instagram, a plataforma que catapultou o seu sucesso. Apostaram nesta rede social, pois permitia-lhes ter um feedback espontâneo e atualizado dos clientes atuais e potenciais. Segue-os! https://www.instagram.com/crushdoughnuts

Acredito vivamente que me darás razão quando digo que os doughnuts da Crush são inigualáveis. Tira as tuas próprias conclusões, mas depois não digas que não te avisei!

Artigo escrito por Mariana Coelho

Artigo revisto por Ana Margarida

Artigos recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *