7ª Arte,  Secções

Sisters

Ninguém esperava muito do filme Sisters, visto que a sua estreia coincidiu com a chegada aos cinemas de Star Wars: The Force Awakens, mas a verdade é que este filme, do realizador Jason Moore, superou todas as expectativas. E isto deve-se, essencialmente, à dinâmica efervescente que une Tina Fey e Amy Poehler.

Esta é uma vulgar e animada comédia sobre duas irmãs adultas que ainda têm de crescer, mas que não parecem nada inclinadas a fazê-lo.

O filme apresenta-nos assim Maura Ellis (Amy Poehler) e Kate Ellis (Tina Fey). Maura, a irmã mais nova, é uma enfermeira de Atlanta, divorciada, que sempre assumiu o papel de responsável. Já Kate é a problemática, esteticista e mãe solteira de Haley (Madison Davenport), que faz de tudo para escapar das constantes loucuras da mãe.

As duas irmãs reúnem-se quando os seus pais Deanna (Dianne Wiest) e Bucky (James Brolin) tomam a decisão de vender a antiga casa da família em Orlando, Florida. Com poucos dias para retirar as suas coisas do quarto elas decidem dar uma última festa na “Ellis Island” com o intuito de celebrar os seus passados e mudar os seus futuros.

Captura de ecrã 2016-02-14, às 01.31.09

Os preparativos para a festa começam de imediato: convidar “amigos” ao acaso, comprar quantidades massivas de snacks e álcool e encontrar o conjunto perfeito para vestir. O momento em que Maura e Kate se juntam na loja de roupa Forever 21, que é claramente demasiado jovem para elas, é um dos momentos mais hilariantes do filme, provando a fantástica química que une estas duas atrizes.

A festa que reúne antigos colegas do secundário, entre eles, Dave (John Leguizamo), Alex (Bobby Moynihan) e Brinda (Maya Rudolph), rapidamente sai de controlo, com os adultos a libertarem tudo aquilo que reprimiam há anos e a comportarem-se como loucos. Tudo o que podia correr mal, sem dúvida, corre mal.

É o caos da festa que leva a que as irmãs Ellis sejam obrigadas a confrontar aquilo que não querem – Maura quer evitar a todo o custo entrar de novo num relacionamento e Kate continua a acreditar que consegue viver uma vida despreocupada enquanto mantém um emprego e sustenta a filha mais nova. É quando elas se apercebem da sua imaturidade que entramos nos momentos mais dramáticos do filme (apesar de estes serem mantidos ao mínimo e de nunca se esquecer a comédia).

É refrescante ver a atuação de Amy Poehler e Tina Fey num filme com uma premissa semelhante a tantos outros. Contudo, nem este duo consegue ser imbatível. O filme tem momentos demasiado longos e repetitivos que tentam ser salvos com piadas que simplesmente parecem demasiado forçadas. Sisters não me conseguiu mostrar aquele toque especial. Os atores secundários são bons, mas rir ou não com eles depende imenso da tolerância que se tem a um humor que, por vezes, se torna estranho. Sisters não é um filme horrível, mas deixou-me um pouco desapontada. Com duas atrizes tão fortes como personagens principais, eu esperava um pouco mais.

Apesar de tudo, Sisters garante vários momentos de entretenimento – ver Maura e Kate no seu antigo quarto a recordar as suas paixões, as suas roupas e as suas aventuras leva-nos a perceber que todos nos arrependemos da criança de 12 anos que fomos.

Vejam este filme, nem que seja por estarem aborrecidos, porque Amy Poehler e Tina Fey são um dos duos mais cómicos de Hollywood e conseguem facilmente fazer-nos soltar um sorriso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *