Música,  Secções

“So what, Dub Inc?”

artigo1-madalena-costa

Dub Incorporation (desde 2006 é apenas Dub Inc) é uma banda de reggae de Saint-Étienne, em França, e cujos membros estão juntos desde 1997. A banda combina uma variedade de estilos, entre eles dancehall, dub, ska e rap. A sua principal influência é música africana, sendo que cantam tanto em francês como em inglês. A banda lançou seis álbuns de estúdio. Os três primeiros, Diversité (2003), Dans le décor (2005) e Afrikya (2008), para Dub Incorporation. Os seguintes álbuns, Hors contrôle (2010), Paraíso (2013) e So what (2016), já foram creditados com o nome “Dub Inc”.

Eles já tocaram em muitos palcos espalhados por todo o mundo. Regularmente tocam à frente de milhões de espectadores, marcam presença em palcos europeus e em festivais franceses, bem como em auditórios no Sul da América e na Índia. Mais de trezentos mil discos vendidos; cinco álbuns editados; mais de quatrocentos e dez mil seguidores no Facebook e  mais de 65 milhões de visualizações no You Tube são algumas das conquistas da banda.

artigo2-madalena-costa

Completamente auto-produzido, o mais recente álbum da banda Dub Inc é o resultado de um longo processo de composição de canções inspiradas pelos eventos trágicos que têm acontecido em França nos últimos meses. Misturando dancehall, hip-hop e influências de eletrónica, “So What” é um álbum de puro reggae que revela os valores rebeldes, espirituais e universais deste género musical.

Juntamente com este recente álbum, os Dub Inc lançaram “Triste Époque” (https://www.youtube.com/watch?v=O57iHKsRPJI&feature=youtu.be&list=PLGxU4FZSmd7-xDE99IVgRBNv6C9DvbMuY), a primeira música deste álbum. Os Dub Inc tornaram-se uma banda de reggae com bastante sucesso europeu; na verdade, as atuações ao vivo da banda têm-lhes permitido estabelecer-se como a ponta de lança da música francesa para o exterior ao longo dos últimos dez anos.

O álbum aborda temas complexos como a ansiedade de países que só falam por medo ou rejeição de outros ou as teorias da conspiração que não têm outro propósito que não confundir pessoas. No entanto, também inclui uma grande dose de otimismo, ao falar em amor e respeito pelos vizinhos, sejam eles quem forem. Como filhos de emigrantes que construíram as suas vidas em França e lhes transmitiram os valores de integridade, respeito e solidariedade, os membros de Dub Inc são o epítome do facto de que nós podemos conquistar coisas boas se estivermos juntos e unidos. Os temas sociais estão presentes neste álbum em “Justice”, mas So What tem também canções mais leves como “Grand Périple”, compensando o humor do registo com notas de otimismo. “Love is the Meaning” traz um toque mais suave ao álbum, “Fêlés” homenageia os fãs da banda e “Ragga Bizness” lida, com humor, com a agonia do mundo da música.

 

Nesta aventura musical, Komlan e Bouchkour dão-se bem, sendo que a sua complementaridade é o trunfo que faz com que eles se destaquem vocalmente falando. O baixo e a bateria tocados por Zigo e Moritz são quase uma fusão perfeita, tendo Jérémie Grégeois a responsabilidade pela guitarra. Os teclistas Idir e Fred combinam um com o outro no talento, proporcionando ao álbum uma dimensão melódica notável. Dub Inc tem também convidados: escolheram partilhar o microfone com uma nova geração de reggae em vez de artistas jamaicanos conceituados, o que teria sido um caminho mais fácil.

Depois de cinco albúns de sucesso, Dub Inc foram aguardados com grande expectativa. So What converte com sucesso a tentativa, colocando-os no topo do panorama musical francês. Para já, ainda não têm data para regressarem a Portugal (lembre-se que a banda esteve em julho em Cascais, no Festival Musa), mas já têm uma abragente lista de concertos da sua tour, onde vão passar por França, Suíça, Reino Unido, Holanda, Bélgica, Itália e Espanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *