Atualidade

Surto de sarampo provoca primeira morte em Portugal desde os anos 90

Morreu a jovem de 17 anos que estava internada com Sarampo. É, até agora, a única vítima mortal num total de 21 casos confirmados nos últimos dias em Portugal.

Uma crise de sarampo provocou a morte de uma jovem esta quarta feira, 19 de abril, no Hospital Dona Estefânia, em Lisboa.
em conferência de imprensa, o Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC)

Depois de ter dado entrada no Hospital de Cascais no fim de semana, e com o diagnóstico de sarampo confirmado, foi transferida para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, para um quarto de isolamento. Após 24 horas, e devido a um agravamento da sua condição, foi transferida para a Unidade de Cuidados Intensivos Pediátricos – Hospital pediátrico D. Estefânia.

A pneumonia bilateral – sarampo que desenvolveu agravou o seu estado de saúde.

Internada nesta unidade hospitalar desde a madrugada de segunda-feira, a jovem, que não estava vacinada contra o sarampo, terá contraído a doença através de uma criança de 13 meses, não vacinada.

A opção da não vacinação foi tomada pelos pais, depois de, em criança, ter desenvolvido uma reacção alérgica a outra vacina.

Dos 21 casos confirmados até ao momento, 12 deles não apresentam vacinação contra a doença.

Este surto de sarampo na Europa fora anunciado pela Organização Mundial de Saúde em março passado, indicando que havia uma tendência para a doença atingir crianças cujos pais decidiram não vacinar os filhos.

Esta é a primeira morte em 23 anos, depois do país ter enfrentado cerca de três mil casos da doença no início dos anos 90.

 

O que é o sarampo e como pode ser prevenido?

O sarampo não é mais do que uma doença contagiosa e propaga-se geralmente através de secreções nasais e por inalação aérea.

O período de incubação da doença varia entre 7 e 21 dias e a forma mais eficaz de protecção e combate é a vacinação. A vacina do sarampo está incluída no Plano Nacional de Vacinação, é gratuita, mas não tem carácter obrigatório, embora seja fortemente recomendada por médicos e pediatras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *