• Opinião

    Alabardas Aldrabadas

    Nunca gostei de mortos. Nunca fui a um funeral e a ideia da morte faz-me confusão. Pior: histórias de mortos. Não. Pior: coisas que aparecem feitas por pessoas que já estão mortas. Há poucos dias, saiu um livro de um escritor que já morreu: José Saramago. O livro tem como título Alabardas, alabardas, Espingardas, espingardas e não tinha sido terminado. O Nobel português deixou escritas vinte e duas páginas e algumas notas. A pergunta que se impõe é simples: isso chega? Chegam vinte e duas páginas e algumas notas para saciar um verdadeiro fã de Saramago? Para um verdadeiro amante de Saramago, não. E é fácil dizer por quê: essas…