• Atualidade,  Informação

    Medidas “recessivas” são aprovadas no parlamento grego apenas com os votos dos partidos do governo

    Neste Sábado, Syriza e Gregos Independentes foram os únicos partidos do parlamento grego que aprovaram a implementação de novas medidas de austeridade; os restantes, incluindo a Nova Democracia, votaram contra. Mais de 140 deputados gregos rejeitaram o pacote de medidas exigidas pelos credores europeus, que validava a primeira parcela do empréstimo de 86 mil milhões de euros. Na segunda candidatura às eleições, Tsipras decidiu pôr o radicalismo de lado prometendo ao povo grego uma renegociação com os credores para a redução da dívida. No entanto, esta tentativa de renegociação só poderia ocorrer após a recapitalização da banca, algo que, segundo o primeiro-ministro, só pode ser feito a partir de “medidas…

  • Atualidade,  Informação

    Passos acusa a oposição de extremismo e relembra as atitudes do seu “colega Aléxis Tsípras”

    Durante um almoço-comício em Felgueiras, Passos Coelho, atual primeiro-ministro e membro principal da coligação PaF, afirmou que a “promessa atual do líder do PS” consiste na criação de “um governo extremista”, também constituído por “comunistas e bloquistas” que, “contra a vontade dos portugueses”, possa “governar o país”. Esta é a acusação que Passos Coelho faz a António Costa na eventualidade da coligação vencer as próximas eleições legislativas, que terão lugar no próximo domingo, dia 4 de outubro. Para demonstrar que o radicalismo não é o caminho, o primeiro-ministro quis relembrar aos portugueses os resultados das eleições antecipadas, realizadas na Grécia. “Reparem bem que até na Grécia, o meu colega Aléxis…

  • Opinião

    Espírito Espartano

    “Nós não somos a Grécia”, by Passos Coelho… Decorem esta frase. Vai acompanhar-vos, pelo menos, até Outubro. Faz hoje duas semanas, mais coisa menos coisa, que a Coligação da Esquerda Radical, mais conhecida como Syriza, venceu as legislativas gregas. Como se esperava, bateu de imediato o pé à Europa: acabou a austeridade (acabou a mama). Alexis Tsipras fez aquilo que, a meu ver, nós tivemos medo de fazer: dizer basta(!) à Alemanha. Com o ritmo de crescimento económico actual, 0,7% do PIB em 2014, e com a dívida a atingir 180%(!) do PIB demorariam mais de 200 anos a pagar a dívida. Neste momento, a classe média é uma miragem…