• Música,  Secções

    Call me Joanne

    Se fizemos de conta que nunca tinha havido uma Lady Gaga antes de 21 de outubro de 2016, provavelmente este álbum iria ser falado pelos melhores motivos – por ser um grande debut; por ter uma teamwork de sonho (que conta com Mark Ronsom, Kevin Parker, Beck, Father John Misty, Florence Welch, entre outros); ou por conjugar na perfeição vários estilos musicais, compondo um oceano cheio de correntes pop, rock e country. O problema deste álbum, lendo na diagonal as críticas feitas ao mesmo, é esse mesmo: não ser o debut de uma nova-iorquina de trinta anos que sempre foi dona de si mesma, mas sim o quinto de Stefani…