• Opinião

    Fazer como no Senegal

    No outro dia, estava eu a aproveitar o meu domingo para fotografar a bela Lisboa, na igualmente bela companhia de mãe e irmã, quando, em Santa Lúzia, fomos interpelados por um vendedor de bugigangas africano. Nada de anormal até aqui. Demonstramos serenamente o nosso desinteresse pela compra daqueles artigos, recusa à qual se seguiu um pequeno diálogo estabelecido pelo vendedor. Questionou-nos se eramos de Lisboa. Mãe: “sim, ‘eles’ não. “São seus filhos?”, perguntava. Disse-nos que era do Senegal e que vivia cá há alguns anos, quantos não me consigo lembrar. “E gosta de cá viver”, perguntamos-lhe. Afirmativo. Acrescentou que tinha família em Paris, onde se falava francês, tal como no…