• Atualidade,  Informação

    BE diz que não havia candidatura presidencial abrangente à esquerda

    Catarina Martins, porta-voz do Bloco de Esquerda (BE), afirmou este domingo, depois de aprovada por unanimidade, a candidatura presidencial de Marisa Matias – eurodeputada do Bloco -, no final da reunião da Mesa Nacional do BE, que essa decisão foi tomada porque “Aqui chegados, e analisado o quadro das candidaturas presidenciais apresentadas até agora, o que registamos é que não apareceu à esquerda nenhuma candidatura suficientemente abrangente ou mobilizadora que pusesse em causa uma eventual vitória à primeira volta da candidatura da direita”. De qualquer modo, a porta-voz do Bloco ressalvou que “a decisão de avançar com uma candidatura de espaço próprio não tem nem a ver com os resultados…

  • Opinião,  Secções

    Eleições legislativas: um ano de interregno

    Um ano de interregno, sim. É esse, na minha opinião, o resultado das eleições legislativas do passado dia 4 de outubro. Porquê? Já lá iremos. Contudo, quero começar este artigo por identificar aqueles que, no meu entender, são os grandes vencedores e derrotados do ato eleitoral do passado domingo. Primeiro, e penso que é consensual dizê-lo, a coligação PaF (PSD/CDS) foi o inequívoco vencedor. Apesar de uma queda de quase 15 pontos percentuais, Pedro Passos Coelho e Paulo Portas conseguiram fazer aquilo que há um ano era impensável: ganhar as eleições legislativas. Se esta vitória tem uma grande quota parte de culpa do Partido Socialista? Sim, sem dúvida, mas isso…

  • Atualidade,  Informação

    Jornal de Campanha – 30 de Setembro de 2015

    O candidato do Partido Unido de Reformados e Pensionistas (PURP), António Mateus Dias, apelou esta quarta-feira aos idosos para “abrirem os olhos” e não caírem nas “promessas falsas” dos principais partidos. Numa acção de campanha em Alcântara, o líder do partido disse à Lusa que, do contacto que tem tido com as pessoas, “há muita gente descontente e que quer uma mudança”; “pensamos que alguma coisa irá acontecer”. Ainda por Lisboa, o líder da Coligação Democrática Unitária (CDU), Jerónimo de Sousa, afirmou que quer evitar falar do PS para não lhe provocar “nervos” antes da eleições. “Não vou falar do PS outra vez, depois vocês transmitem isso e o António…