• Opinião

    A esquerda castrada

    O volta-face nas recentes eleições britânicas pareceu improviso teatral. Após meses de sondagens, estudos e estatísticas a apontar para um claríssimo empate técnico entre Trabalhistas e Conservadores o resultado foi, no mínimo, surpreendente. Uma corrida que seria um roer de unhas até à última tornou-se numa arrebatadora vitória para o atual governo de David Cameron. De tal forma estava a ideia de um impasse eleitoral difundida por todo o espetro mediático, que, em várias estações televisivas, estrangeiras ou nacionais, podia ouvir-se que a única certeza nestas legislativas era a de que uma maioria absoluta seria absolutamente impossível. Teria, então, de existir uma coligação partidária de forma a termos uma base…