• Opinião

    Gracinha e as leis da estupidez humana

    Hoje venho contar-vos uma história que, embora pareça fictícia, dado o seu carácter estupidamente imprevisível, é a mais pura das verdades. Todos nós já conhecemos a Gracinha, certo? Moçoila pequena, desajeitadamente desastrada, que se aleija das formas mais idiotas de sempre e que, mesmo assim, continua a ser o protótipo de rebeldia ao não andar com protecções corporais. Tudo lhe acontece; é um facto. No entanto, há coisas que, supostamente, só acontecem nos filmes. Pois… supostamente. A Gracinha, que é incapaz de rejeitar um bom duelo com tudo o que a rodeia e ameaça (ou não), decidiu desafiar as leis da estupidez humana (e da gravidade) enquanto jantava calmamente com…

  • Opinião

    Gracinha digital

    Sabe tão bem estar no computador a, como se costumava dizer, teclar. Assim que a tecnologia se espalhou e transformou o mundo como nós o conhecíamos, as pessoas começaram a esconder-se atrás dos vários teclados que foram surgindo. A Gracinha, como devem calcular, não é excepção e também se rendeu às maravilhas do mundo tecnológico. É, ela só continua a ser peculiar numa coisa… Na forma graciosa como consegue cair em tudo o que é sítio e se consegue magoar com tudo o que existe e, vamos ser sinceros, com o que não existe. Ora bem, mas estava eu a falar de como a tecnologia, e o avanço da mesma,…

  • Opinião

    GRACINHA E OS CHOCOLATES DE LUZ

    É dia 24 de dezembro. Véspera de natal. A família junta-se à mesa; o fogo da lareira aquece cada canto da sala; os avós relembram histórias; os pais riem-se das caretas das crianças; e os tios ajudam à palhaçada da criançada. Não há música ambiente, porque as gargalhadas familiares já são o soundtrack da noite. A comida vem para a mesa. “Que cheirinho”, afirma a mãe. “É. Cheira bem, cheira a Natal”, comenta a Gracinha. Muito gosta esta pequena moçoila de juntar a família toda à mesa ou não fosse o natal a época preferida dela. Os pijamas quentinhos que a avó lhe oferece; os abraços harmoniosos que os primos…

  • Opinião

    Gracinha Brilhantina

    Apresento-vos a Gracinha. Moçoila pequena. Muito pequena. Tão pequena, mas tão pequena, que chegar à prateleira do meio, de uma estante, já é motivo de alegria para ela. Conhecendo-a como conheço, já se deve ter aleijado umas quantas vezes durante este processo. Ah, sim. Para além de ser pequena, a Gracinha também se aleija constantemente e das formas mais estranhamente estúpidas de sempre. É, a miúda tem um quê de queda para a estupidez… Queda… Por falar em queda… Isso é-me familiar… Não sei se já vos aconteceu… Muito provavelmente não, porque não têm o dom da queda que a Gracinha tem. E ainda bem. Enfim, continuando… Não sei se…