• Opinião,  Secções

    Não destruam os clássicos!

    *Era uma vez uma linda menina conhecida na sua aldeia como Capuchinho Vermelho por causa do seu belo capucho. Certo dia, a avozinha da Capuchinho, que morava do outro lado do bosque, adoeceu. Então, a mãe da Capuchinho pediu-lhe que levasse à avozinha um cesto com um bolo e um pote de mel. – Mas tem cuidado! Não te desvies do teu caminho nem fales com estranhos. Capuchinho assentiu. Pegou no cesto e partiu. Pelo caminho encontrou umas lindas flores e decidiu apanhar algumas para levar à avozinha. Estava Capuchinho distraída a colher flores quando apareceu o Lobo Mau, que a cumprimentou simpaticamente e lhe perguntou onde ia. – Vou…

  • Opinião,  Secções

    Portugal sem Tino

    Há quem diga que Aníbal Cavaco Silva tem sido um Presidente decorativo. Não é bem verdade. Chega até a ser injusto que se afirme tal coisa. Primeiro, porque se fosse para decorar, era preferível que os portugueses tivessem votado num bonito aparador – sempre era mais estético e ainda tinha alguma utilidade. E segundo, porque uma afirmação desta natureza menospreza relevantes ações deste homem. Não se pode ignorar a grandeza de feitos como o grande elogio às “agora maiores e mais saborosas” bananas da Madeira, de extrema importância para a motivação da produção nacional (e que más línguas defendem ter sido um meio de Pedro Passos Coelho ganhar tempo na…

  • Opinião,  Secções

    Corrida às urn… bilheteiras

    No passado dia 4 de outubro os portugueses foram chamados às mesas de voto para eleger aquele que será o seu próximo primeiro-ministro. A coligação PSD/CDS saiu vitoriosa… mas pouco. Portugal à Frente ficou alguns passos atrás da maioria “grande e boa” que tanto pediu. Creio que é portanto evidente que o grande problema destas eleições foi de facto as filas. Se Portugal à Frente não tivesse ficado preso nas portas, poderia ter chegado uns minutinhos mais cedo e não teria ficado, naturalmente, posicionado na fila atrás da maioria absoluta. As filas revelaram-se um flagelo tão grande no ato eleitoral, que me arrisco a afirmar que a corrida às urnas…