• Artes Visuais e Performativas,  Secções

    Silêncio, que se vai ver o Fado

    «Amor, ciúme 
Cinzas e lume
 Dor e pecado 
Tudo isto existe
 Tudo isto é triste
 Tudo isto é fado.» Retratos de grandes nomes do fado construídos com materiais reciclados: é isto que constitui a exposição «Somos Fado, parte I». Da autoria de Pedro Guimarães, o trabalho encontra-se presente no Museu do Fado, desde o dia 19 de março até ao dia 18 de setembro. Carlos Paredes, Alfredo Merceneiro, Camané, António Chaínho, Cuca Roseta e Carminho são apenas algumas das personalidades representadas e os suportes são vários. Num momento inicial, o que mais chama a atenção do visitante é a peça que se encontra na entrada do Museu – Amália Rodrigues…

  • Artes Visuais e Performativas

    Há Fado no fado da gente

    Desde 2011, quando o Fado foi considerado património mundial da humanidade pela UNESCO, que me apercebo da quantidade de história que anda perdida nas ruas de Lisboa. Essa que é a minha casa e cidade que tantas e tantas vezes foi palco do Fado, que desde o século XVIII encanta milhões dos seus ouvintes. Na década de noventa, perto da estação de Santa Apolónia, o fado ganhou um lugar que se dedica única e exclusivamente a esta arte. É um edifício simples, num tom rosado, pelo qual havia passado centenas de vezes, sem me aperceber da quantidade de história que lá dentro mora. Talvez fosse mesmo o fado do Fado…