The Juice Hut: matar a sede de verão em Carcavelos

Sabes aquele momento em que estás na praia, chapa 30º, a tua água ou acabou ou está quente e já tens a boca a saber ao deserto do Saara? Não desesperes. The Juice Hut já chegou a Carcavelos, pronta para te saciar. 

Aquela caminhada – que parece interminável – até ao bar da praia mais próximo geralmente tem dois significados: vontade de ir ao WC ou sede. Quem nunca foi pedir uma coca-cola ciente de que gastaria dois euros (ou mais) por já não aguentar ficar mais tempo sem beber algo fresco que atire a primeira mão-cheia de areia. E se, em vez de bebidas gaseificadas, tivéssemos, do outro lado do paredão, um sumo natural fresquinho? Em Carcavelos isso já é possível, graças a Cecilia e Joe, um casal que se mudou há seis meses para a zona e estranhou a inexistência de um estabelecimento que proporcionasse alternativas saudáveis aos banhistas. Puseram a mão na massa – ou, devo dizer, nas frutas – e lançaram este projeto. The Juice Hut abriu há três meses e já conta com clientes habituais, talvez pelos cartões de fidelização que, à nona bebida, oferecem uma grátis. Apenas mais uma razão para se “embebedarem” com sumos de fruta. É que, aquando da minha visita à recente instalação, pude provar alguns sumos em copos de shot. Devo dizer que nunca tinha provado shots assim!

Fotografia de Guilherme Martins

Mas vamos ao que interessa: o que tem a Juice Hut de especial? Para começar, nenhuma das bebidas leva açúcar. Sabem aquele sumo amargo que de vez em quando nos é servido? Pois, despeçam-se dele. Quando os provei, foi difícil acreditar que não tinham, no mínimo, um pacote de açúcar. A fruta é tão, mas tão doce que custa a crer que seja 100% natural – mas é. Por isso mesmo, são sumos deliciosos e sem quaisquer adições maradas. Só vais entender realmente quando lá fores provar, trust me.  

Como se já não fosse suficiente, não utilizam plástico nos seus produtos. “Ah, mas gosto de beber com palhinha” – não te preocupes, eles têm palhinhas, mas são feitas de plantas. Sim, plantas! Nem as saladas de fruta nem as taças de açaí ou iogurte são servidas em plástico. Por alguma razão, receberam a classificação máxima do Movimento Claro (https://movimentoclaro.org/), graças a abolirem o plástico descartável no seu estabelecimento. Comida saudável aliada a uma boa sustentabilidade: a receita para o sucesso.

Fotografia de Guilherme Martins

Já te imaginaste sentado(a) no areal com uma tigela de açaí? Basta passares pela Juice Hut para isso deixar de ser apenas imaginação. É o conceito do take-away versão estival. Mas claro, se preferires disfrutar dos snacks saudáveis à sombra, também tens todo um espaço instagrammável (já não bastavam as bebidas e a comida!) onde podes abancar todos os dias das 9h30 às 19h30, horário que provavelmente alargará durante o verão.

Como todos sabemos, o verão português propriamente dito ainda não começou. Mesmo assim, o negócio está a correr de vento em popa e já se pensa em expandir! Que tal te soa a ideia de uma Juice Hut em Cascais? Para além disso, o casal adepto do healthy lifestyle ambiciona ter música ao vivo na sua banca, que foi outrora terreno desaproveitado. Olho e barriga para o negócio!

Cecilia De La Rosa é a mente por detrás da Juice Hut. Com a ajuda do marido, Joe, promove hábitos alimentares saudáveis e a sustentabilidade. 
Fotografia de Guilherme Martins

Cecilia De La Rosa nasceu e cresceu na República Dominicana. Hoje, incorpora muito do que foi o seu crescimento em terras portuguesas. Com pai e avô agricultores, não admira que se tenha debruçado sobre a disseminação da comida saudável (“I’ve always been surrounded by it!”, exclama). A dominicana, que não bebe quaisquer refrigerantes, relembrou-me de que cada pessoa deve comer pelo menos cinco peças de fruta por dia. Penso que não sou a única a não cumprir esse requisito, seja por que razão for. “If you don’t like to eat it, drink it” é a solução de Cecilia. É bastante exequível: em vez de comeres as cinco peças, que tal beberes um smoothie da Juice Hut e riscares algumas da lista? 

Já na República Dominicana a sua família tinha um estabelecimento junto à praia onde promoviam a alimentação saudável. Depois de viver lá, em Espanha, nos Estados Unidos e em Inglaterra, Cecilia decidiu perdurar o legado em Portugal: o bom tempo e as pessoas ajudaram. Diz que, em certos aspetos, relembra-a da sua casa, e tanto ela como o marido tentam – quer seja pela decoração, quer pelos frutos exóticos – importar essa realidade na nossa costa. 

“I’m doing something I’m really passionate about”, conta Cecilia com um brilho nos olhos que me impossibilita de a desmentir. Manga é a sua fruta favorita e, graças às valências que adquiriu com o contacto constante com a agricultura, sabe cultivar esta e outras frutas. No que toca às preferências dos consumidores, os eleitos são o Caribe e o Berry Good. Se quiseres ser do contra, vais ter de ir fazer praia e visitar a cabana – que sacrifício!

Cardápio da Juice Hut, onde estão dispostas as 12 alternativas de sumos naturais e as tigelas de açaí. Podes ainda experimentar água de coco, salada de frutas ou iogurte. 
Fotografia de Guilherme Martins

A junção de frutos locais (tugas) com frutos exóticos e legumes faz sumos curiosamente apetitosos. Quem diria que misturar maçã com pepino daria um resultado tão delicioso? Olhem, digo-o eu. Como o casal denomina, são “healthy caribean/portuguese vibes” condensadas num cantinho pitoresco e acolhedor. A sua simpatia convida ao regresso, tal como o deleite que proporcionam. O leque de oferta aumentará com a criação de novas combinações. Taças com açaí e abacate ou chocolate e manteiga de amendoim serão realidade. Os produtos são vegan e apenas utilizam leite de soja no seu liquidificador e na sua centrifugadora (pois todos os sumos passam por ambos).  

Cecilia e Joe ambicionam generalizar um consumo que já é comum, por exemplo, na América Latina. Entre aulas de português e de pilates, aprimoram a sua carta, almejando a melhor qualidade possível. Mantendo-se amigos do ambiente e adeptos de um estilo de vida saudável, proporcionam novas experiências a cada cliente. A mim, por exemplo, deram-me a conhecer o açaí. Eu sei que já anda na moda há uns tempos, mas provei apenas uma colher oferecida por uma amiga. “Sabe a terra”, disse, insatisfeita. “É suposto”, respondeu-me ela. Depois da minha ida à Juice Hut, aprendi que afinal não é suposto – o açaí que oferecem não tem aquele travo forte. Proveniente do Brasil, é acentuadamente roxo e tem uma consistência semelhante à de um gelado, ideal para um dia de calor na praia de Carcavelos.

É este o aspeto das açaí bowls de que falei. Admite que ficaste com água na boca!

The Juice Hut tem tudo para correr bem. Tanto pela vertente saudável como pela sustentável, não há nada a apontar contra a iniciativa. O local é perfeito, tal como a variedade disponibilizada. O atendimento é cinco estrelas e agora, mais que nunca, a sua ideia de negócio faz sentido. Tem tudo o que o público quer e melhor ainda. Convencido/a?

Revisto por Ana Roquete

Artigos recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *