Opinião

Viver com ansiedade nos dias de hoje

Estar ansioso é viver no futuro. Viver a ansiedade é estar sozinho nos próprios pensamentos. Na mente, tudo faz sentido, mas expressar certas emoções parece ser egoísta. Há quem sofra mais e, por isso, queixarmo-nos de alguma coisa para justificar a nossa ansiedade parece ser injusto.

Mas o injusto não será pensar dessa forma? Não será, de certa forma, hipócrita? A verdade é que seria mais difícil compararmo-nos com quem tem mais, faz mais, diz mais; e, por isso, não o fazemos.

Estar ansioso não representa alguém que projeta vários planos a realizar, mas alguém que se imagina a ser capaz de tudo sem sair da mente.

Sofrer de ansiedade é como uma limitação, uma vontade de agir condicionada pelo medo de falhar, uma necessidade de mudar; porém sem forças para fazer escolhas.

Estar ansioso é prever o dia de amanhã sem expetativas, é lidar com medos na própria cabeça sem os expressar, é cair na rotina de sermos nós mesmos sem tentar novas experiências.

como lidar com crise ansiedade
Fonte da imagem: Eduardo Pignata/SAÚDE é Vital

Sentir ansiedade é sinónimo de descontrolo. Gritamos por dentro. Não conseguimos olhar para os outros que nos veem, porque achamos que irão olhar para nós de forma diferente.

Talvez tudo isto seja o que se sente, mas estar ansioso é algo bastante justo nos dias de hoje. Somos constantemente pressionados para ser mais, fazer mais, dizer mais; e a verdade é que nem sempre somos capazes ou queremos corresponder a todas estas expetativas.

Não corresponder ao que esperam de nós pode ser um motivo para nos sentirmos ansiosos. Contudo, também pode ser um motivo de revolta. Por que razão temos de agradar ao mundo e de nos esquecer de nós próprios?

E se estar ansioso significar que nos importamos com alguma coisa? Talvez ter medo de falhar também signifique que queremos ser o melhor de nós mesmos, mas que precisamos de um impulso para agir. Esse impulso pode partir de nós ou dos outros.

Por isso, este tema deve ser falado, discutido, trazido para as grandes preocupações da sociedade atual. Não podemos deixar que a mente nos domine, pois pode ser a nossa pior inimiga.

Mas, afinal, como é que a ansiedade é percecionada pela sociedade nos dias de hoje?

Talvez aquilo que os outros possam pensar acerca do que se sente quando se tem ansiedade não corresponda à realidade. Achar que sabemos aquilo pelo qual o outro está a passar é não ter vontade de nos confrontarmos com coisas que preferimos não questionar ou pôr em causa.

Também acontece, por vezes, conseguirmos disfarçar aquilo que sentimos e isso faz com que os sentimentos não sejam reconhecidos pelos outros. Se não o mostramos, não o sentimos. Isto não é verdade.

Sentir ansiedade é comum a todas as pessoas. Este não deve ser um sentimento ignorado ou menosprezado.

Falar sobre saúde mental não pode continuar a ser um tema tabu. Procurar ajuda profissional não deve ser algo visto por nós e pelos outros com vergonha. Falar acerca daquilo que sentimos e pedir apoio é o caminho para encontrar um equilíbrio emocional.

Corresponder a padrões não é motivo de orgulho e fugir deles não é um ato de coragem. Sermos nós mesmos é priorizar a nossa essência. Viver com ansiedade é normal, mas aceitar que sofremos com isso é o passo a dar para estarmos em paz.

Fonte da fotografia de destaque: Aromalandia

Artigo revisto por Andreia Custódio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *