• Música

    J. Cole e a liberdade para sentir

    J. Cole é um rapper norte-americano com um estilo muito próprio. Conta nas suas músicas experiências pessoais que são baseadas na sua própria realidade e que fogem à ficção.  O cantor procura transmitir mensagens emocionalmente fortes, com um elevado teor social, que dizem sempre respeito a momentos do passado, do presente e do futuro. As suas músicas permitem retirar lições de vida.  J. Cole é uma exceção à regra na indústria da música. Mais do que o reconhecimento pessoal, o rapper conseguiu com as suas produções musicais provocar uma introspecção aos ouvintes.  Com letras impactantes e dirigidas aos sentimentos de cada pessoa, o artista consegue através das suas músicas ter…

  • Opinião

    Quando o facto de ter uma opinião no jornalismo é alvo de censura

    Após 10 meses de reportagens sobre notícias de última hora, justiça criminal e sobre o movimento “Black Lives Matter” para a república do Arizona, a jornalista Emily Wilder conseguiu trabalho na Associated Press. Assumiu na sua rede social Twitter que estava orgulhosa por ter construído uma reputação de respeito na redação e nas comunidades onde esteve a fazer a cobertura noticiosa. Quando conseguiu o trabalho na Associated Press sentiu-se feliz. No entanto, os republicanos da Stanford College lançaram uma campanha contra a jornalista, tentando expor o seu ativismo público pelos direitos humanos palestinos quando esta ainda estava na Universidade de Stanford. Emily Wilder afirmou ter sido transparente com os seus…

  • Música

    Os anos 2000 e a reinvenção do rock

    Quando se pensava que o rock já não tinha espaço para se reinventar, vieram os anos 2000. Novas bandas surgiram e o rock ganhou uma nova autenticidade. Os fãs deste estilo musical foram surpreendidos pelo aparecimento de novos artistas e de novos talentos que deram ao rock uma nova forma de expressão. Linkin Park Formada em 1996, a banda de rock Linkin Park alcançou a fama internacional com o seu álbum de estreia, “Hybrid Theory” (2000). Esta banda marcou fortemente o rock dos anos 2000. Músicas como “In The End”, “Numb”, “Faint”, “Breaking The Habit”, “What I’ve Done”, “Leave Out All The Rest” são impossíveis de esquecer.  A banda alcançou…

  • Opinião

    A objetificação do corpo da mulher no desporto é um problema social

    A sexualização do corpo feminino está enraizada na nossa sociedade e parece que não existe uma grande reflexão por parte das pessoas acerca deste tema. A objetificação do corpo da mulher está presente na nossa cultura, no nosso quotidiano. Muitas vezes, o corpo da mulher surge como um simples objeto de desejo e de consumo, o que acaba por alimentar os princípios do machismo. A mulher é, por vezes, valorizada, não pelas suas capacidades intelectuais, desportivas, psicológicas, mas pelos atributos físicos. No desporto, por exemplo, o voleibol de praia feminino transformou-se num produto comercial de espetáculo no mundo. As transmissões desta prática desportiva utilizam enquadramentos televisivos que focam o corpo…

  • Opinião

    O poder do humor na desconstrução moral da sociedade

    Em Portugal, a stand-up comedy tem crescido fortemente, bem como os canais de YouTube que servem de palco aos humoristas. A verdade é que o humor tem tido um papel fundamental na desconstrução dos valores morais da sociedade. As pessoas riem-se das piadas que lhes são dirigidas, porque o humor incorpora fenómenos de identificação. Contudo, os humoristas portugueses continuam a ser alvo de críticas pelas suas piadas. A censura continua a existir e, por vezes, a liberdade de expressão que a democracia conquistou parece estar a perder-se por motivos mesquinhos. Se há limites para o humor, também há limites para a liberdade de pensamento. Se as pessoas se ofendem e…

  • Opinião

    Solidão na Era Digital: A desconexão é possível

    Se, por um lado, a Internet e as redes sociais permitiram uma aproximação entre as pessoas, por outro lado, também vieram prejudicar a espontaneidade das relações. A verdade é que cada vez mais somos dependentes da tecnologia. Parece que de repente tornou-se estranho conviver com as pessoas sem ser através desses meios tecnológicos. Muitas vezes, as pessoas estão juntas e não conseguem aproveitar o momento, pois estão mais interessadas naquilo que se passa nas redes sociais. O interesse por saber a que se deve a nova notificação parece ter mais peso do que ter uma conversa cara a cara sobre coisas que realmente importam. Estar presente em corpo e ausente…

  • Música

    Tate McRae: Do seu quarto no Canadá para o mundo

    Com uma música gravada com o seu iPhone, colocado na parte da frente do carro da mãe, Tate McRae grava o seu primeiro videoclipe, cantando debaixo da Torre de Calgary. O single “You Broke Me First” tornou-se rapidamente num sucesso mundial e a artista que existia apenas no quarto da sua casa no Canadá passou a existir em todo o mundo. Tate McRae começou o seu percurso em 2016, quando se tornou na primeira finalista canadense do programa de talentos americano “So you think you can dance: The next generation”. A sua mãe foi bailarina durante toda a vida e desde os seis anos que a artista começou a dançar.…

  • Música

    Eminem: Quer a “Cancel Culture” calar o Rap God?

    Marshall Mathers, mais conhecido por Eminem, foi alvo da “cultura de cancelamento”. A música “Love the way you lie”, cantada pelo rapper e por Rihanna, lançada em 2010, foi agora alvo de críticas. Um utilizador da rede social Tik Tok lançou a ideia de “cancelar” o rapper devido à letra da música. Na perspetiva do utilizador que faz parte da Geração Z, a geração nascida entre a segunda metade dos anos 1990 e o ano de 2010, a canção contém uma linguagem agressiva e ofensiva contra as mulheres. A campanha contra Eminem na rede social Tik Tok teve início no mês de fevereiro, quando o mesmo utilizador publicou um vídeo…

  • Opinião

    Viver com ansiedade nos dias de hoje

    Estar ansioso é viver no futuro. Viver a ansiedade é estar sozinho nos próprios pensamentos. Na mente, tudo faz sentido, mas expressar certas emoções parece ser egoísta. Há quem sofra mais e, por isso, queixarmo-nos de alguma coisa para justificar a nossa ansiedade parece ser injusto. Mas o injusto não será pensar dessa forma? Não será, de certa forma, hipócrita? A verdade é que seria mais difícil compararmo-nos com quem tem mais, faz mais, diz mais; e, por isso, não o fazemos. Estar ansioso não representa alguém que projeta vários planos a realizar, mas alguém que se imagina a ser capaz de tudo sem sair da mente. Sofrer de ansiedade…

  • Música

    Machine Gun Kelly: Do Rap ao Pop Punk

    Nasceu como Colson Baker, mas transformou-se em Machine Gun Kelly. É com este nome que tem construído o seu percurso na música e, atualmente, o artista tem mostrado uma forte versatilidade. Abandonou o rap e tem-se superado no pop punk, deixando os seus fãs surpreendidos e rendidos ao seu talento Machine Gun Kelly sempre foi conhecido como rapper; contudo, nunca negou que as suas maiores influências provinham do rock. Em “Hollywood Whore”, o cantor utiliza referências ao instrumental da canção “Numb”, clássico do ex-vocalista Chester Bennington da banda de rock Linkin Park. Chester tornou-se num dos maiores nomes da história deste estilo musical nos anos 2000, sendo capaz de misturar…