Desporto

ARTIGO DE OPINIÃO: O CRESCIMENTO DAS MODALIDADES EM PORTUGAL

Durante vários anos, o Futebol – também conhecido como o “desporto-rei” – é o desporto mais importante de Portugal. Ora, apesar da sua hegemonia, as outras modalidades estão em crescimento nos últimos anos!

A maior conquista do desporto português nos últimos anos foi o triunfo de Portugal no Campeonato Europeu de Futebol 2016, sem dúvida. Admito. Não te quero perder, leitor. Garanto-te que vai melhorar a partir deste momento. Não vou continuar a falar de futebol neste artigo.

Bem, passando agora ao crescimento das modalidades em Portugal. O país sempre teve um gosto especial pelo futsal (muito semelhante àquele desporto cujo nome não mencionarei) e pelo hóquei em patins. Aliás, Portugal sempre teve uma das melhores seleções do Hóquei em Patins, tendo diversos campeonatos do mundo e da europa dessa modalidade. É de enaltecer. Ah! E também temos um bom histórico no fut**** de praia. 

No futsal, para além das duas ocasiões em que uma equipa portuguesa levantou uma UEFA Futsal Champions League (Benfica, em 2009/10, e Sporting, em 2018/19), Portugal conquistou, em 2018, o consagrado Europeu de futsal contra os “hermanos” Espanha. E temos um português que já conquistou por seis vezes o prémio de melhor jogador do mundo de futsal: Ricardo Filipe da Silva Braga, mais conhecido como Ricardinho.

No hóquei em patins, Portugal já conquistou o Europeu em 21 ocasiões – o recorde de uma seleção nesta competição -, o Mundial por 16 vezes e a Taça de Nações em 21 ocasiões. Preciso de dizer mais? Portugal é uma das potências desta modalidade. 

Continuando, Portugal cresceu imenso nas outras modalidades: andebol, atletismo, ciclismo, desportos motorizados, entre outros. Parece-me que não somos apenas bons no futeb** e nas outras duas modalidades.

No andebol, Portugal conseguiu, na época transata, duas equipas na fase de grupos da VELUX EHF Champions League 2018/19: FC Porto e Sporting CP. E o FC Porto. Apesar de não ter sido campeão, não foi verdadeiramente eliminado – a EHF decidiu que apenas quatro clubes dos oito clubes que estavam em prova iam participar na fase final da competição, inglória…

Nos Jogos Olímpicos, assim de grande glória nos últimos anos, temos a medalha de prata, na canoagem, de Fernando Pimenta e Emanuel Silva, em 2012; a medalha de ouro de Nelson Évora, em 2008; e a medalha de bronze de Telma Monteiro, em 2016. Apesar de não ter sempre várias medalhas, Portugal garantiu sempre uma medalha nas últimas três edições. Consistência.

No Ciclismo, o Zé Povinho ficou muito contente este ano! Portugal foi muito falado durante vários dias do Giro D’Itália, devido aos 15 dias em que João Almeida usou a camisola rosa e à conquista da camisola da montanha por parte de Rúben Guerreiro.

Os desportos motorizados também estão a ser muito felizes em 2020! António Félix da Costa é o atual campeão do mundo de Fórmula E; Miguel Oliveira conquistou o GP de Estíria (Áustria); e Filipe Albuquerque venceu o 24 Horas LeMans, na categoria LMP2. Para além disso, pela primeira vez em 24 anos, a Fórmula 1 voltou às terras lusitanas e realizou o GP Portugal, no Algarve. A MotoGP também regressou e vai realizar o Grande Prémio MEO de Portugal, em Portimão. Que belo ano para as corridas motorizadas!

No ténis, o maior feito nos últimos anos foi a conquista do Estoril Open 2018, por parte de João Sousa! Apesar de não ser o melhor desporto para os portugueses, é de enaltecer as conquistas dos tenistas portugueses e a presença constante de João Sousa nos Grand Slams

O basquetebol é das poucas principais modalidades que inclui os três grandes clubes do fute***. Algo que não acontecia há vários anos, devido à ausência prolongada do Sporting. Portugal sagrou-se campeão europeu de Sub-20 B, em 2019. E muito possivelmente teremos um jogador português no NBA Draft 2021: Neemias Queta. 

Se Portugal é um país de futeb**? Sim. Se os portugueses também são bons nos outros desportos? Sim! É preciso apreciar todas as modalidades: um país só com futebol como desporto seria desinteressante.

Artigo revisto por Adriana Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *