Opinião

Bizarria Mundial

Cerca de um mês antes de começar uma grande competição de selecções, são muitas as questões que qualquer pessoa interessada no assunto quer ver respondidas. Quem são os favoritos? Em que sistema táctico vai jogar a selecção A e a selecção B? Os lesionados vão recuperar? As pessoas estão com a selecção do seu país? O país que recebe a prova está preparado para a receber?

Tudo isto passa um pouco ao lado. Entramos numa outra dimensão. Uma dimensão esquizofrénica da cobertura mediática do evento. E não me refiro apenas à extenuação de termos de saber os ciclos de sono dos jogadores juntamente com os seus hábitos de leitura, os níveis de colesterol, ou se estão do lado dos liberais ou dos absolutistas. Refiro-me às questões que recorrentemente levantam e ao que noticiam, mas apenas em futebol de selecções. Eu tomei a liberdade de elencar algumas delas deixando já a garantia de que se trata de estupidez:

1-      “Mister, o povo quer saber: os jogadores vão poder fazer sexo durante o Mundial?”.

Ora bem, eu confesso que esta é a que me deixa mais perplexo. Por um lado, temos a pertinência da questão. Por outro lado, porque é que isto é uma pergunta que só se faz aos jogadores de selecção? Há alguma espécie de critério que defina que futebolista que não é internacional pelo seu país é assexuado? Copular ou não copular, eis a questão.

2-      Animais que adivinham resultados.

Esta começou com um polvo. O polvo Paul. Parece que o facto de o bicho ter acertado muitos resultados do último Mundial o afastou do prato de arroz. No entanto, a coisa estendeu-se e agora todos os animais que supostamente acertam nos resultados aparecem na televisão. Do elefante ao porquinho-da-índia, passando pelo saguim e terminando na pulga. Aquilo que era notícia por ser bizarro agora é comum. E isso é bizarro. Fechando assim o ciclo de bizarria.

3-      Bruxos que fazem coisas.

Aparece um homem a dizer que fez umas coisas para lesionar o Cristiano Ronaldo e é logo notícia. Vem um mestre vidente dizer que vai ganhar a selecção “X” ou “Y” e é logo notícia (a única diferença destes para os animais é que estes nunca vão ser colocados numa mesa com uma laranja na boca. Espero eu.). É engraçado como nunca vão conferir depois se o resultado bateu certo. Eu acho que deviam. Não se correm assim tantos riscos. Se pensarmos bem, os Governos todos os anos falham as previsões e todos os anos estamos a ouvi-los prever coisas. Isto aqui pode funcionar perfeitamente da mesma forma.

Estes são apenas 3 exemplos. Certamente há mais. Este tipo de cobertura mediática faz tanto sentido como relembrar jogos de Mikado do João Paulo II, estudar Semiologia são ou o visual do Raúl Meireles. Mas há coisas que são mesmo assim. Desde que vi pessoas a bater palmas ao Manuel Palito que já nada me surpreende.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *