• Opinião

    Quando o facto de ter uma opinião no jornalismo é alvo de censura

    Após 10 meses de reportagens sobre notícias de última hora, justiça criminal e sobre o movimento “Black Lives Matter” para a república do Arizona, a jornalista Emily Wilder conseguiu trabalho na Associated Press. Assumiu na sua rede social Twitter que estava orgulhosa por ter construído uma reputação de respeito na redação e nas comunidades onde esteve a fazer a cobertura noticiosa. Quando conseguiu o trabalho na Associated Press sentiu-se feliz. No entanto, os republicanos da Stanford College lançaram uma campanha contra a jornalista, tentando expor o seu ativismo público pelos direitos humanos palestinos quando esta ainda estava na Universidade de Stanford. Emily Wilder afirmou ter sido transparente com os seus…

  • Opinião

    Apropriação Cultural: Uma questão de respeito e de contexto

    Portugal tem complexos de inferioridade. O comportamento não lhe foi diagnosticado; nem é preciso. Somos um país pequeno, facilmente confundido com uma província de Espanha e que só por vezes não passa despercebido devido a alguns reconhecimentos do país. Para além de nos acharmos inferiores por motivos de pequenez territorial, também achamos que tudo o que nos é externo é sempre melhor. Tory Burch, por entre outros casos, mostra-nos o contrário.  No mês de Março, a designer norte-americana colocou à venda uma camisola poveira, como sendo sua criação, a custar por volta de 700 euros. Se não nos focarmos no ultraje do valor da peça e no erro da designação…

  • Opinião

    Cadeira

    Não sabia qual a palavra que deveria escolher para criar uma história com ela. Olhei à minha volta e decidi ficar com a primeira coisa que vi: uma cadeira. Parece difícil, mas uma cadeira pode representar muita coisa e eu gosto de desafios. Uma cadeira pode ser vista e representada de várias formas. Temos a visão elitista que remonta ao passado – quando um trono representava poder, mas, na verdade, era apenas um assento decorado com ouro. Também podemos oferecer-lhe uma visão metafórica, representando a cadeira como algo que suporta a vida. Mas decidi pegar nesta palavra e “mergulhar” nos tempos da minha infância.  Ainda me lembro, como se tivesse…

  • Opinião

    Amigos da Onça: quando te cobram aquilo que não te dão

    “Que o amigo é sempre amigo. Se concorda com o amigo. Mas também se à discórdia sobreviver.” O ser humano sempre viveu em comunidade e com base nas relações que estabelece com os outros. Desde pequenos que estabelecemos ligações com os nossos familiares e, posteriormente, com outras pessoas com as quais criamos amizades. Muitas dessas amizades começam quase desde o berço e acompanham-nos para a vida. Outras ficam pelo caminho pelos mais diversos motivos.  Sempre considerei a amizade a mais bonita forma de amar. Um amigo, no seu todo, é alguém que nos diverte, que nos faz rir, que alinha nas nossas ideias e até loucuras. Para alguns, a definição de amizade fica por aqui. Para mim,…

  • Opinião

    Constança no País das Maravilhas das Candidaturas de Emprego

    Constança no País das Maravilhas das Candidaturas de Emprego: este é o filme que vivo agora e esta versão spinoff é muito menos interessante, mas tem tanto de ridículo que, se nos soubermos rir da miséria, tem bastante piada.  As notícias reportam muitas e muitas vagas e o LinkedIn dá-nos muitas e muitas rejeições. As vagas existem, mas não são tantas nem tão boas como o Governo faz parecer. Estou convencida de que as empresas esperam pelo currículo do Super-Homem – e mesmo esse não teria o nível de mandarim esperado. Desde empresas que querem os clássicos “três anos de experiência por um estágio temporário sem esperança de ficar na…

  • Opinião

    A minha nova perceção das redes sociais

    Já muito se falou sobre as redes sociais e as suas vantagens e desvantagens. Mas gostava de dar a minha visão. Quem sabe se alguém se poderá identificar com ela. A perceção que temos das redes sociais e a importância que lhes damos é subjetiva. Podemos sempre dar-lhe uma utilização saudável, mas acredito que não é fácil conseguir isso logo à partida. É uma aprendizagem que se vai fazendo. No meu caso foi assim. Há quatro ou cinco anos entrei cheio de entusiasmo no Instagram. Mas acho que entrei porque sentia que tinha de o fazer para “existir”. Para “existir” na sociedade de hoje em dia. Para estar em contacto…

  • Opinião

    Combater a homobitransfobia ou ficar a ver?

    Assinala-se hoje, 17 maio, o Dia Internacional de Luta Contra a Homofobia, Bifobia e Transfobia. Uma data de celebração e de consciencialização sobre a importância de combater o estigma, o preconceito e a discriminação homobitransfóbica. Por que razões devemos, em conjunto, fazê-lo? De que forma toda a sociedade beneficia de um contexto onde há orgulho de sermos nós, sem filtros e sem “armários”? Esta data, também conhecida como IDAHOT e mais recentemente como IDAHOBIT (International Day Against Homophobia, Biphobia and Transphobia), assinala-se no mesmo dia em que se celebra o aniversário desde que a Organização Mundial da Saúde desclassificou a homossexualidade como um distúrbio mental, em 1990. O dia não…

  • Opinião

    A objetificação do corpo da mulher no desporto é um problema social

    A sexualização do corpo feminino está enraizada na nossa sociedade e parece que não existe uma grande reflexão por parte das pessoas acerca deste tema. A objetificação do corpo da mulher está presente na nossa cultura, no nosso quotidiano. Muitas vezes, o corpo da mulher surge como um simples objeto de desejo e de consumo, o que acaba por alimentar os princípios do machismo. A mulher é, por vezes, valorizada, não pelas suas capacidades intelectuais, desportivas, psicológicas, mas pelos atributos físicos. No desporto, por exemplo, o voleibol de praia feminino transformou-se num produto comercial de espetáculo no mundo. As transmissões desta prática desportiva utilizam enquadramentos televisivos que focam o corpo…

  • Opinião

    Dia da Europa: Como Garantir a Solidariedade no Pós-Pandemia

    Hoje, no Dia da Europa, celebra-se a união dos países europeus e assinala-se o septuagésimo-primeiro aniversário da Declaração Schuman, proferida pelo ministro francês dos Negócios Estrangeiros a 9 de Maio de 1950. Esta propôs a criação da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (CECA), atualmente considerada o berço da União Europeia. De entre os valores centrais da organização supranacional, encontramos a liberdade, a justiça e a solidariedade. Nas mais recentes discussões políticas, o apelo à solidariedade é um padrão recorrente. Face aos desafios contemporâneos, o princípio fundador é relembrado, mas nem sempre traduzido em ação concreta.  As consequências socioeconómicas da pandemia do coronavírus expuseram as vulnerabilidades da UE. Examinando…

  • Opinião

    Querer amar, mas tropeçar no apego

    O facto de um cadeado fechado simbolizar o amor é algo que já não me faz sentido. Se tivesse de descrevê-lo, diria que é tudo menos isso, uma vez que simbolizaria prisão e posse. No outro dia, li num artigo que “um cadeado é um objeto que prende. E o amor não tem nada a ver com prisão – tudo pelo contrário. O amor é liberdade, é deixar o outro livre. Precisamos de ser livres para tocar melhor no amor”. Devemos abrir-nos ao outro, mas sem cair no erro de nos deixarmos fundir. Não deve acontecer uma união total, nem uma perda de individualidade, por isso, não nos podemos esquecer…