Atualidade,  Informação

COVID-19. Portugal arrancou, no fim de semana, a primeira fase da vacinação

Portugal iniciou no domingo, dia 27 de dezembro, a primeira fase de vacinação contra o novo coronavírus. A primeira vacina foi administrada a António Sarmento, diretor do serviço de doenças infecciosas, no Hospital de São João, no Porto. Entre este domingo e o final de março, prevê-se uma chegada de 1,2 milhões de doses.

A vacina foi dada pela enfermeira Ana Isabel Ribeiro 
Fonte: José Coelho/Lusa

Às 10:07 deste domingo, Portugal iniciou a campanha de vacinação contra a Covid-19, mais de nove meses depois do primeiro caso registado no país. António Sarmento, médico de 65 anos, quis dar o exemplo, mostrando tranquilidade e confiança ao tomar a vacina. “É evidente que o risco não é zero, mas o risco não é zero para nenhuma medicação ou vacina nova que se venha a desenvolver. Todas elas tiveram fase de estudo, ensaios de fase 1, 2 e 3 e depois foram comercializadas e expandidas a toda a humanidade“, disse o médico. 

No hospital de São João, mais de 2.000 vacinas foram administradas a profissionais de saúde em 25 gabinetes médicos preparados para o efeito.

Também no Hospital Curry Cabral, no Hospital de Santa Maria e nos Hospitais Universitários de Coimbra foram vacinados vários profissionais de saúde, neste domingo, descrevendo a vacinação como uma “dose de esperança”.

Fonte: Notícias de Coimbra

A ministra da Saúde acompanhou a administração da primeira dose da vacina da Pfizer e voltou a sublinhar a importância da vacina para o combate da pandemia, enaltecendo os esforços realizados por todos os profissionais de saúde. 

Marta Temido apelou para uma capacidade de união e de trabalho em conjunto por parte dos portugueses: “O inverno ainda mal começou. Se conseguimos chegar até aqui é porque conseguimos caminhar juntos, (…) a união é a melhor forma de ultrapassar as dificuldades e será a melhor forma de sairmos desta pandemia, garantindo a melhor rapidez e efetividade da administração das vacinas, num momento ainda com muitos desafios para o nosso Serviço Nacional de Saúde”.

Fonte: Agência Lusa

O governo prevê uma chegada de 1,2 milhões de doses de vacinas e prevê vacinar, até abril, 950 mil pessoas. De acordo com a portaria do governo, a Direção-Geral da Saúde (DGS) tem a responsabilidade de executar este plano, vacinando primeiro os grupos prioritários: pessoas com mais de 50 anos com doenças associadas, utentes e trabalhadores de lares e profissionais de saúde e serviços essenciais. 

O Primeiro-Ministro, António Costa, reagiu ao arranque do plano de vacinação numa publicação do Twitter: “Há dias que ficarão para sempre nas nossas memorias”, começou por escrever. Termina o seu discurso, dizendo que este “é um dia de alento e esperança que nos dá força para continuar a trabalhar com a mesma determinação”.

Quando poderei ser vacinado contra a Covid-19?

O governo anunciou que os portugueses têm disponível um portal inteiramente dedicado ao processo de vacinação contra a Covid-19,  com o objetivo de esclarecer a população sobre todos os detalhes da campanha. 

Segundo o Ministério da Saúde, algumas das principais questões recorrentes – “A vacina é eficaz?”, “a vacina é segura?”, etc. – estão explicadas e disponíveis neste portal. “Além da resposta a estas perguntas mais gerais, existe ainda uma área nesta nova página — FAQ’s — onde se podem encontrar esclarecimentos quanto a aspetos mais específicos, como os efeitos secundários das vacinas ou o que fazer após estar vacinado”, refere o Ministério da Saúde.

Além destas informações, um dos destaques do portal é um simulador que o utilizador pode preencher para ficar a saber em que período do ano será chamado pelo SNS para a vacinação – https://covid19.min-saude.pt/vacinas/ 

                                     Artigo revisto por Adriana Alves.

Avatar

Com 19 anos de vida, Ana alia a sua paixão por animais, fotografia e música ao mundo da comunicação. Sempre gostou de contar histórias, de escrever, de ler e ainda arranjava espaço para falar pelos cotovelos. Criativa, determinada e sempre disposta a ajudar o outro, a Ana vê no jornalismo o privilégio de poder conectar o mundo e as pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *