Opinião

Dilma: A incompetência feminina ou apenas uma mulher incompetente?

Exatamente, irei escrever sobre política: ainda tens tempo de fechar o artigo e voltar ao vídeo do YouTube sobre gatinhos fofos. Para os que ficarem, meus pêsames pois esse que vos escreve tem um conhecimento político extremamente superficial e uma capacidade de expressar suas ideias através da escrita ainda pior.

Pois bem, há mais ou menos 500 anos numa terrinha da América do Sul, alguns milhões de nativos viviam livremente a comer picanha e a beber caipirinha quando um sujeito branco, com trajes exóticos e um espelho na mão, convenceu aqueles senhores a dar tudo o que possuíam e a oferecer trabalhos manuais não subsidiados. Passam-se alguns séculos e hoje, em pleno 2016, o Brasil vive uma das maiorias crises políticas da história de sua democracia.

A atual Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, está a sofrer um processo de Impeachment, que seria um ato de afastamento definitivo da Presidente do seu mandato presidencial, acusada de cometer crimes que vão de encontro às leis da Constituição. Nesse caso específico, Dilma está a ser condenada por crime de responsabilidade, que engloba a sua incompetência na gestão do país: a nomeação de Lula (ex-Presidente e futuro presidiário) para Ministro da Casa Civil, pedaladas fiscais, o uso ilegal de dinheiro público para campanha política…

A lista de acusações é infinita e, acrescentando a todo esse processo, existe ainda outro julgamento sobre a participação ou negligência administrativa da Presidente no caso de corrupção que ocorreu na Petrobras. Porém, não foi nada de mais, apenas um pequeno desvio de dinheiro público, algo em torno de 21 bilhões de fucking reais. Apenas o maior caso de corrupção num país democrático de SEMPRE.

Basicamente, o que a população brasileira quer é que a Presidente “dê o baza porque já não tá a bater!”

É claro que com a falta de popularidade da Presidente, as críticas da população evidentemente iriam aumentar. Com as críticas também vieram os insultos, particularmente ao facto de a Presidente ser mulher, o que na teoria teria alguma implicação na forma como Dilma governa a população brasileira.

Nesse processo surgiram vários grupos misóginos e movimentos machistas não só contra a Presidente, mas também contra o movimento feminista como um todo. O foco da discussão muda e a Presidente sabe disso. Em seus discursos de defesa, Dilma alega que está a sofrer um golpe de Estado e os seus defensores protestam que o processo de Impeachment nada mais é do que um ato machista para afastar a primeira Presidente mulher eleita no Brasil do poder. Uma discussão sobre misoginia em relação à Presidente que com certeza deve ser mais importante do que discutir as decisões estatais e de gestão que ela tomou durante o seu mandato, independente do seu género ou corte de cabelo.

Porém, temos uma ótima solução para o país:

Em caso de Impeachment, quem assumiria a presidência seria o Vice-Presidente, que também está envolvido em escândalos de corrupção e que possivelmente seria afastado. Então quem assumiria seria o Presidente do Senado Federal, mas este está a ser investigado na operação Lava Jato.

Na próxima linha sucessória aparece o Presidente da Câmara do Senado, que pelo mesmo motivo não poderia assumir a presidência. Na sequência, o Deputado Federal mais votado assumiria. Porém, adivinhem lá… isso mesmo, este também não poderia assumir o cargo por ter sido condenado por peculato.

E só assim, o segundo Deputado Federal mais votado assumiria a presidência do Brasil, o digníssimo Francisco Everardo Oliveira da Silva, para os mais íntimos, Tiririca, um palhaço de circo que foi eleito pela população mesmo sendo um comediante que nem sequer sabe ler e escrever.

Eu sou o único que acredita que devemos devolver o Brasil para os indígenas e pedir as mais sinceras desculpas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *