• Opinião

    Cisgénero, vegan, Non-binary e outras nomenclaturas

    Disclaimer sobre a crônica a seguir: alguns parágrafos refletem minha real opinião sobre o assunto, outras não. Algumas coisas serão ditas por serem meramente engraçadas (para mim) ou intencionalmente provocadoras. Enjoy! Era uma sexta-feira chuvosa. Estava com minha amiga Jéssica num restaurante a divagar sobre a vida, quando o atendente de mesa se aproxima e pergunta, com uma alegria no olhar de quem trabalha todos os dias nessa profissão tão gratificante, o que gostaríamos de comer. – Bom, eu não como carne ou derivados de animais. Há dois meses tornei-me vegan, então gostaria de alguma opção na ementa sem qualquer tipo de crueldade animal – respondeu Jéssica. Engraçado que o…

  • Opinião,  Secções

    Cinco coisas inúteis que deviam deixar de existir em 2017

    O final do ano de 2016 é um momento para refletir nas nossas escolhas, vitórias, derrotas desistir de certos hábitos, planear novas metas e fracassar miseravelmente em cumpri-las ao longo do próximo ano. Foi a pensar nisso que eu aproveitei a oportunidade para compartilhar convosco algumas reflexões que elaborei nesses últimos dias. A primeira coisa que queria compartilhar era que eu ainda sinto muito medo quando a minha mãe me larga numa fila do caixa com várias compras e some. Eu tenho uma teoria de que as mães fazem isso de propósito só para verem os filhos entrarem em desespero. Uma espécie de vingança por termos destruído as suas respetivas…

  • Opinião,  Secções

    Maria Leal: Truth Never Told

    Em mais uma noite nas ruas lisboetas, mais precisamente na discoteca mais pacífica e com os maiores valores éticos de Portugal, vulgarmente conhecida como Urban, estava eu, a dançar e a lançar os mais sofisticados piropos, em mais uma tentativa de copular com o sexo oposto e quiçá começar uma linda relação heteroafetiva. Foi então que reparei que um grande furdúncio se instaurava e uma quantidade considerável de seres humanos se agrupavam à frente de um ser, uma divindade qualquer, pois a euforia já era tão gigantesca que eu desconsiderei de imediato a hipótese de que tal movimentação fosse em função de um indivíduo qualquer. Logo de seguida, todos os…

  • Opinião,  Secções

    Adolescente violada por 33 homens foi a maior culpada

    “Jovem brasileira de 16 anos violada por mais de 30 homens”. Impossível, que nas últimas semanas não tenhas sido exposto a esta triste notícia – triste e recorrente, infelizmente. A violação não é apenas uma realidade brasileira, mas mundial. Porém, existe um facto em relação a este acontecido que causa mais espanto que a própria violação em si. A meio de tanta discussão sobre o que aconteceu com a adolescente, existe uma boa parcela da população que acredita que a jovem de 16 anos foi a culpada pelo acontecido. As suas roupas, a sua conduta, o facto de já ser mãe, morar na favela e andar frequentemente rodeada de traficantes,…

  • Opinião,  Secções

    “Não era uma mulher, era uma transexual!”

    “Não era uma mulher, era uma transexual!” “Se ela fosse transexual, teria a obrigação de dizer. Imagina eu dormir com uma mulher e no dia seguinte descobrir que na verdade era um homem?” E bastou o meu amigo Gustavo proferir estas frases para que a paz que reinava naquela mesa de bar fosse destruída. Porém, antes de tudo, recuemos na história para duas horas antes do fatídico momento. Estávamos todos a dissertar sobre a arte de fazer o amorzinho gostoso: falávamos sobre fetiches pessoais, sobre desejos incomuns e de histórias vergonhosas que só eram compartilhadas pela certeza de que na manhã seguinte ninguém se recordaria de nada do que tinha…

  • Opinião

    Dilma: A incompetência feminina ou apenas uma mulher incompetente?

    Exatamente, irei escrever sobre política: ainda tens tempo de fechar o artigo e voltar ao vídeo do YouTube sobre gatinhos fofos. Para os que ficarem, meus pêsames pois esse que vos escreve tem um conhecimento político extremamente superficial e uma capacidade de expressar suas ideias através da escrita ainda pior. Pois bem, há mais ou menos 500 anos numa terrinha da América do Sul, alguns milhões de nativos viviam livremente a comer picanha e a beber caipirinha quando um sujeito branco, com trajes exóticos e um espelho na mão, convenceu aqueles senhores a dar tudo o que possuíam e a oferecer trabalhos manuais não subsidiados. Passam-se alguns séculos e hoje,…

  • Opinião,  Secções

    Tugas, não gozem na minha cara. Apontem para outro lado!

    Existe algo que é extremamente belo e singular na relação entre Brasil e Portugal, e isto é a existência de pequenas palavras da língua portuguesa que usamos no quotidiano da forma mais casual e natural possível mas que, pela ironia da vida, possuem significados completamente diferentes nos bairros lusitanos e nas terras tupiniquins. Isso gera um certo desconforto que só quem conhece os significados da mesma palavra no Brasil e em Portugal pode explicar. Um exemplo clássico dessa diferença é a palavra ”rapariga”, que em Portugal significa miúda ou mulher jovem, enquanto a mesma palavra no Brasil remete para a mulher que ganha a vida através da distribuição monetizada das…

  • Opinião,  Secções

    Cinco insights sobre os gays

    Eu iria escrever sobre um assunto totalmente diferente, porém, aconteceu algo no início dessa semana que deve ser compartilhado aqui. Estava eu na Fnac, a escutar o novo álbum do Justin Bieber (eu sei…. eu sei), quando me apercebo de que um senhor, por volta dos seus 30 anos, está a olhar para mim fixamente por um tempo considerável até eu começar a ficar com medo do que poderia acontecer. Porém, viro o rosto e volto a curtir “Sorry” como se não houvesse amanhã. Então, o senhor aproxima-se de mim e pergunta se eu sou o Gonçalo, de Cascais. A contrariar as expectativas do estranho, apresento-me como Wesley, da Amadora.…

  • Opinião,  Secções

    Sobre cinemas, restaurantes e primeiros encontros

    Uma das maiores preocupações que passam pela cabeça de um jovem apaixonado em relação a um primeiro encontro com uma encantadora mulher é: para onde levarei esta rapariga? Então, em meio de dúvidas e dilemas existenciais, o jovem decide que o lugar ideal para levar sua pretendente é um lindo restaurante; ou então, decide levá-la a assistir a um filme no escurinho do cinema. E é aí que entra a minha posição ativista e filosófica contra todo esse ritual de primeiro encontro. Mas antes de argumentar o porquê desses lugares serem os piores destinos para um primeiro encontro, vale lembrar que eu também já me encontrei com algumas mulheres no…