Donald Trump testa positivo à Covid-19

Após ter sido observado com sintomas ligeiros do novo coronavírus, Donald Trump foi encaminhado, no dia 2 de outubro, para um hospital militar, onde testou positivo à Covid-19, acabando por ficar internado “para observação”.

Fonte: Observador

O presidente dos Estados Unidos da América está infetado com o novo coronavírus. Com sintomas ligeiros – fadiga, pouca febre, tosse e congestão nasal – Donald Trump foi aconselhado, por precaução, à hospitalização. O presidente ficou sob observação numa suíte privada do hospital militar Walter Reed, em Washington, permitindo assim a manutenção de algumas das suas funções.

Os filhos de Trump fizeram, igualmente, o teste e, à exceção da primeira-dama, Melania Trump, não se verificou outro positivo na família. O vice-presidente, Mike Pence, e a sua mulher, bem como todos os funcionários da Casa Branca, foram também sujeitos a exames médicos. Muitos destes já acusaram positivo à Covid-19 e os números não param de aumentar.

Apesar do internamento do presidente dos Estados Unidos da América, Melania Trump permaneceu na residência oficial e agradeceu, através da rede social Twitter, às equipas médicas e aos cuidadores – “A minha família está grata por todas as orações e apoio! Sinto-me bem e continuarei a descansar em casa. Obrigada às equipas médicas e aos cuidadores em todas as unidades, vou continuar a rezar por aqueles que estão doentes ou têm um membro da família afetado pelo vírus“.

Publicação no Twitter da Melania Trump

Uma semana depois do diagnóstico, Donald Trump garante estar “perfeito” e pronto para retomar a campanha eleitoral. No entanto, apesar de acreditar já ter ultrapassado o período de contágio, os médicos responsáveis pela saúde do presidente americano não adiantam quaisquer informações sobre a sua recuperação.

O presidente dos Estados Unidos quis, ainda, prestar declarações sobre a sua “cura” e afirmou que “contrair a Covid-19 foi uma bênção de Deus”. Donald Trump revela também que pretende aprovar rapidamente o mesmo medicamento que o “salvou” do vírus. REGN-COV2 é o nome do fármaco utilizado no tratamento de menos de dez pessoas, sendo uma delas o próprio. Apesar de ter sido testado num número tão reduzido de cidadãos, Trump garante que esta é a solução e prometeu distribuí-la gratuitamente por todos os americanos.

Com visíveis melhoras, o chefe do governo voltou à sala oval no dia 7 de outubro e anunciou, na passada sexta-feira, dia 9, que pretende regressar aos comícios já este fim-de-semana. Ainda que não esteja livre do novo coronavírus, o presidente norte-americano garante que está pronto para retomar a campanha eleitoral.

Fonte: cm-tv.pt

Recorde-se de que, devido à idade e ao excesso de peso, Trump integra um grupo de risco na doença que já matou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo. Desta forma, a intenção de regressar, na totalidade, às suas funções não tem sido bem recebida, pois, de acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças, quem se encontra infetado com o novo coronavírus deve permanecer em isolamento, pelo menos, durante dez dias.

Nas últimas 24 horas, a situação nos Estados Unidos da América agravou e registaram-se mais 938 mortes por Covid-19 e 53.668 novos casos.

Artigo escrito por Margarida Rodrigues

Revisto por Ana Roquete

Artigos recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *