Estudantes contra a ida de Passos Coelho para o ISCSP

 Grupo de alunos fez um abaixo-assinado contra a contratação do Ex primeiro-ministro para lecionar aulas de mestrado e de doutoramento no próximo ano letivo. Documento indica que a “ transparência da faculdade é posta em causa”.

 Numa reunião realizada, o Conselho Científico do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) aprovou a proposta da direção da faculdade para que Passos seja docente em Administração Pública na categoria de professor convidado. O anterior líder do PSD terá uma equiparação salarial à de um professor catedrático, ajustada à sua carga horária, o que representa o topo da carreira no ensino universitário para um docente.

A contratação tem provocado um intenso debate e polémica na instituição, o que levou a um abaixo-assinado a contestar a mesma; primeiro porque a instituição é presidida por José Meirinho desde 2012, ex-deputado independente pelas listas do PSD e um dos responsáveis pela reforma da fusão de freguesias levada a cabo pelo governo social-democrata. A ligação de Meirinho com Passos Coelho é vista por vários estudantes como uma “ cartelização política” devido à proximidade ideológica de ambos. O documento critica também “o salário obsceno do novo docente, tendo em conta a sua formação académica, equiparado ao de um professor catedrático, o que representa uma ofensa grave à meritocracia inerente ao percurso académico normal de um docente universitário”.

 O documento tem como objetivo, segundo o grupo de estudantes, recolher o número de assinaturas necessárias para que seja apresentado em assembleia-geral de alunos e, se este tiver uma votação favorável, deverá ser apresentado à presidência do ISCSP, para que sejam propostas respostas rápidas e concretas. Embora o grupo de estudantes reconheça “a vasta experiência prática” do ex-líder dos sociais-democratas, é colocada em causa “a capacidade de Passos para lecionar aulas a discentes com um grau académico superior ao seu, algo que é altamente questionável”. Entretanto a associação de estudantes da instituição indicou, em comunicado, não se rever no teor do documento e que o mesmo não vincula os alunos da mesma.

 Recorde-se que em 2013, quando visitou o ISCSP, o anterior primeiro-ministro foi recebido por uma manifestação a pedir a sua demissão. Passos Coelho é, também, membro de honra do ISCSP. Pela instituição já passaram alguns antigos membros de governo ou líderes partidários, como António José Seguro, atualmente com o cargo de professor auxiliar, ou ainda Rui Pereira, Luís Amado e Basílio Horta.

Artigos recentes

Era uma vez

Versão em forma de tributo de uma Hollywood em transição da sua fase clássica para uma nova era mais escura. O “nono” de Tarantino não

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *