Moda e Lifestyle

Mudam-se os tempos, muda-se a moda?

Padrões de moda estão, hoje, quebrados. Desde a utilização de cores exuberantes e de diferentes padrões a tons mais neutros e clássicos. A moda desenvolveu-se em todas as formas, criando contornos e a criação de novas “trends” complexas e criativas. Contudo, a expressão “a história repete-se” intitula-se como verdadeira, pois, atualmente, o que observamos é o regresso das modas anteriores que apresentam uma evolução pertinente, alastrando-se devido ao desenvolvimento tecnológico e à sua utilização excessiva.

Fonte: guiadasemana.com
Fonte: gosteieagora.com

Mas como é que podemos evidenciar? Os padrões, as cores exuberantes e as roupas largas indicam a volta dos anos 70/ 80 e o início do segundo milénio, remetendo para uma visão mais relaxada, mas única. Por outro lado, o estilo clássico e discreto que também é evidenciado associa-se aos anos 60.

Porém, isto representa o quão facilmente influenciáveis somos, deixando-nos levar pelas estipulações da indústria. Contudo, também temos aqueles que são verdadeiros para eles próprios, não se deixando influenciar e demonstrando a sua verdadeira personalidade.

Fonte: bing.com

A indústria da moda tem sido mais valorizada e respeitada. Facilitada pelas redes sociais e por outros veículos de comunicação, estipulando quais os padrões de beleza que devem ser seguidos e o que é considerado belo, manipulando o próprio consumo por parte dos públicos. Há a conexão dos padrões de beleza com o consumo na sociedade. Esta indústria sobrevalorizou-se com as tecnologias e as influências das grandes páginas online, levando as próprias marcas a melhorar o contacto com o seu público-alvo, difundindo-se rapidamente e aumentando o consumismo.

Fonte: ego.globo.com

O contacto com os diferentes públicos levou a que a própria visão e a perspetiva fossem alteradas, introduzindo novos padrões e designações de beleza com o foco no multiculturalismo, a representação do Homem e as suas múltiplas personalidades e um novo ponto de vista da representação da perfeição e unicidade, comprovando que as tecnologias e este constante contacto internacional gerou uma alteração dos modelos de beleza e mudança no conteúdo expressado, um novo produto “fora da caixa”.

Artigo escrito por Érica Nunes

Artigo revisto por Constança Lopes

Fonte da foto de capa: noticiasaominuto.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *