Literatura

“O Drible” ganha o Grande Prémio Portugal Telecom

Sérgio Rodrigues foi o grande vencedor da 12ª edição do Grande Prémio Portugal Telecom de Literatura em Língua Portuguesa com o seu livro “O Drible” no passado dia 8 de Dezembro no Rio de Janeiro.
O escritor de Minas Gerais é autor de Todoprosa e Sobre Palavras, dois blogs da Veja Online. Trabalhou também como repórter, editor e colunista no Jornal do Brasil e na TV Globo, entre outros. No seu discurso de agradecimento, apelou a uma melhor qualidade no ensino público brasileiro e lembrou o quão importante este prémio é para a literatura brasileira, que ainda é pouco conhecida nos outros países. Dedicou ainda o prémio à sua mãe e aos dois filhos, Daniel e Clarice, presentes na sala.
“O Drible” foi o vencedor na categoria de melhor romance e retrata um jornalista desportivo reformado que, já com 80 anos, decide voltar a entrar na vida do filho, com quem partilha histórias do futebol brasileiro, entre as quais um lance falhado de Pelé no Mundial de 1970 que ficou para a história. Este é o terceiro romance do autor de 52 anos, tendo já dois livros publicados em Portugal: “What Língua Is Esta” e “Elza, a Garota”.
Sérgio Rodrigues competia com Gonçalo M. Tavares, conhecido escritor português que já recebeu este prémio duas vezes, e com os brasileiros Carlos de Brito e Mello e Verônica Stigger.
No campo da poesia, o eleito foi o português Gastão Cruz com “Observação de Verão seguido de Fogo”. Também nomeados estavam a escritora portuguesa Ana Luísa Amaral e os poetas brasileiros Guilherme Gontijo Flores e Zuca Sardan.
Na categoria de conto e crónica o prémio foi para Everardo Norões, brasileiro, pelo seu livro de contos “Entre Moscas”. O autor competiu com Luís Henrique Pellanda e António Prata, do Brasil, e Alexandra Lucas, de Portugal, os três com livros de crónicas.
Os vencedores nas categorias de Romance, Poesia e Conto/Crónica recebem, cada um, 50 mil reais (aproximadamente 15 mil euros), sendo que o premiado pelo Grande Prémio acumula este valor com outros 50 mil reais.
A cerimónia, que decorreu na Oi Futuro, foi apresentada pelos actores Marat Descartes e Fernanda D’Umbra. No júri estavam Selma Caetano (curadora-coordenadora), Cintia Moscovitch (curadora de contos/crónicas), Lourival Holanda (curador de romance) e Sérgio Medeiros (curador de poesia), que nomearam outros seis jurados: João Cezar de Castro Rocha, José Castello, Leyla Perrone-Moisés, Luiz Costa Lima, Manuel da Costa
Pinto e Regina Zillberman.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *