7ª Arte

O outro lado de Maleficent – crítica

O novo filme da Disney, “Maleficent”, protagonizado pela ímpar Angelina Jolie, dá a conhecer a origem da carismática vilã de “A Bela Adormecida”.

Maleficient

Desde a versão clássica da Disney, de 1959, a história da princesa Aurora tornou-se num dos contos de fadas mais reconhecidos em todo o mundo. “A Bela Adormecida” foi o último filme da Disney pintado à mão, transmitindo ao espectador um espírito mágico envolto em fantasia.

Maleficent

Agora, Aurora e Maleficent são revisitadas na versão de Robert Stromberg, vencedor de dois Óscares enquanto director artístico de “Avatar” (2009) e “Alice no País das Maravilhas” (2010), que se debruça exclusivamente na figura de Maleficent. Com o intuito de perceber o porquê das acções desta vilã, esta recente fita revela-nos uma história estimulante, onde se joga com o papel moral do bem e do mal. Com algumas influências da obra de Greggory Maguire, que havia explorado a figura da Bruxa Malvada do Oeste, em “O Feiticeiro de Oz”, agora também redescobrimos uma nova história de Maleficent.

Maleficent

Depois de “O Turista” (2010), Angelina Jolie volta ao grande ecrã, nesta que é a sua primeira produção com a Disney. A actriz consegue criar uma personagem com os traços clássicos que lhe eram exigidos, no entanto confere-lhe uma pose e um estilo muito pessoais, resultando numa elegância e graciosidade capaz de oferecer a crueldade característica da icónica vilã, mas ao mesmo tempo uma humanização da personagem.

Com uma campanha promocional massiva, qualquer cidadão comum de qualquer canto do planeta terá tido dificuldade em ignorar a figura de Angelina nesta imponente personagem. Para a actriz, este já é o filme com maior sucesso de bilheteira, com 521 milhões de dólares em todo o mundo, após quase um mês de exibição.

Maleficent

Assim, “Maleficent” é uma história clássica contada a partir de outro ponto de vista, em que as raízes das personagens foram repensadas. Angelina Jolie aparece como a grande essência do filme conferindo-lhe uma imponência adequada ao nome de Maleficent.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *