Música

O Rei do Letrismo

Howard Ashman escreveu as letras das canções dos clássicos de animação da Disney A pequena sereia, A Bela e o Monstro e Aladdin.

A “Disney Renaissance”, expressão normalmente usada para descrever os anos que englobam o final da década de 80 e que se estenderam até 1999, foi uma das melhores épocas da Disney. O melhor do renascimento da Disney foram as músicas. As bandas sonoras dos filmes de animação produzidos nesta época marcaram várias gerações e vão continuar a marcar as gerações futuras. Mas quem é o génio por detrás destas músicas memoráveis?

O seu nome é Howard Ashman. Ele era um roteirista, letrista, autor-compositor, compositor de bandas sonoras, produtor cinematográfico e encenador. Howard não sabia nada sobre música e não tocava nenhum instrumento, o que ele gostava era de contar histórias e escrever letras, por isso trabalhava em parceria com o compositor Alan Menken.

Menken ao piano a compor o instrumental e Haword a escrever a letra. No entanto, ele tinha ideias muito bem definidas de como a música deveria soar. Foi também ele quem escolheu todo o elenco vocal e dirigiu as sessões de gravação do filme A Bela e o Monstro.

Haword escreveu as letras de alguns sucessos como Something There ; Be Our Guest ; Gaston; Belle ; Beauty and the Beast ; Human Again ; Part of your World ; Poor Unfortunate Souls ; Kiss the Girl ; Under the Sea ; Arabian Nights ; Friend Like Me ; Prince Ali.

Mas afinal que características tinha Howard que o tornaram num génio artístico?

Howard tinha vários fatores a seu favor: a sua criatividade, a sua intuição e a sua musicalidade. Sarah Gillespie, irmã de Howard, atribui o sucesso do irmão a outro fator: “O que havia com o Howard era uma grande empatia, o que significa que ele conseguia colocar-se no lugar dos outros. Não que ele quisesse ser uma sereia que ganhou pernas. Mas ele punha-se na posição da Ariel e na vida da Ariel; chama-se empatia, e dessa posição é possível escrever a personagem. Penso que isto é a definição de artista.”

Peter Schneider, ex-presidente da Disney Animation, também comentou o talento de Howard, dizendo o seguinte: “Ele era humano, abordava questões humanas e pensamentos humanos; era um espírito humano delicado. Acho que foi essa a grande dádiva do Howard a todos nós.”

Fonte: Youtube

Isto é tudo verdade, mas para mim o melhor de Howard era a sua capacidade de criar músicas suficientemente inteligíveis para serem apreciadas por crianças, mas complexas o suficiente para emocionar os adultos.

O letrista recebeu o Grammy Award for Best Children’s Album (A Pequena Sereia, Alan Menken, 1991 Grammy Awards, 1991) e foi também nomeado uma lenda da Disney (Disney Legend) postumamente, em 2001.

Howard morreu devido a complicações causadas por infecção do vírus HIV aos 40 anos. Ainda estavam a ser feitos os filmes A Bela e o Monstro e Aladdin, pelo que não chegou a ver a reação do público. Ashman e Menken tinham acabado as canções de A Bela e o Monstro e outras 11 canções destinadas a Aladdin, no entanto apenas três foram apresentadas na forma acabada no filme (Arabian Nights, Friend Like Me e Prince Ali).

O filme A Bela e o Monstro foi-lhe dedicado: “ao nosso amigo Howard, que deu a uma sereia a sua voz e a um monstro a sua alma. Seremos eternamente gratos. Howard Ashman 1950- 1991”.

Fonte da capa: The Daily Beast/Disney

Artigo revisto por Catarina Peixe

AUTORIA

+ artigos

A Catarina tem uma paixão enorme pela escrita e pela criação, estando a licenciar-se em jornalismo na ESCS. Gosta muito de música, toca guitarra e tem aulas de canto e songwriting. Está sempre informada sobre o que se passa na cultura pop e na indústria musical. Pretende aplicar estes conhecimentos na ESCS Magazine.