Opinião,  Secções

“Passado de Desastre, Presente de Vitória”

“Passado de Desastre, Presente de Vitória”

Atualmente, a sociedade respeita mais a diversidade cultural e aposta no diálogo intercultural entre nações de todos os cantos do mundo. Contudo, o que aconteceu na segunda Guerra Mundial, acontecimento que se designa por Holocausto ou Genocídio Nazi, nunca será esquecido.

De modo a contextualizar este tema, que remete para sentimentos tristes e de ódio pelas atitudes da Humanidade, é bom referir que o Holocausto está relacionado com o genocídio ou assassínio em massa de milhares de judeus, ciganos, negros, deficientes, entre outros, por parte dos alemães nazis, sob o comando de Adolf Hittler. Tudo isto teve origem nos ideais defendidos pelo Nazismo, entre 1933 e 1945, nos quais se considerava que havia “espaço” para apenas uma raça pura ou raça ariana de olhos azuis e cabelos louros (traços físicos dos alemães).

Os números de vítimas que vos vou mostrar de seguida são de facto preocupantes e arrepiantes. Não sei se vocês têm noção mas eu fiquei totalmente surpreendido pela negativa: 12,5 milhões de eslavos; 5,9 milhões de judeus; 2-3 milhões de prisioneiros soviéticos; 1,8-2 milhões de polacos; 220.000 – 1,5 milhões de ciganos; <200.000 deficientes; <80.000 maçons; <20.000 eslovenos; <5.000 homossexuais e <2.500 de testemunhas de Jeová. Antes de apresentar a minha opinião gostava de apelar ao vosso raciocínio e a que imaginassem como é que todos estes seres-humanos foram tratados durante 12 anos nos campos de concentração. Por exemplo, como é que era a vida diária em Auschwitz (que mais tarde foi “libertado” por parte dos soviéticos).

Primeiro que tudo, quer queiramos quer não, Adolf Hittler era um excelente comunicador e tinha o dom da persuasão, senão não teria conseguido “dominar” e comandar milhões de militares alemães, promovendo a sua doutrina nazi… É pena que tenha usado esse seu dom apenas para o mal da humanidade e das várias etnias existentes. Tudo isto culminou no surgimento do racismo e da xenofobia, dois temas que ainda hoje geram polémica na nossa rotina, parecendo, a meu ver, que a humanidade não tem ainda o dom de lidar com diferentes culturas, religiões, valores, costumes ou normas.

O Holocausto foi o acontecimento desgostoso que “arruinou”, uma vez mais, a reputação da Humanidade levando à morte de milhões e milhões de inocentes que apenas tinham de diferente a sua religião, cultura ou etnia. Não consigo entender como é que os alemães conseguiram arranjar uma “fórmula” para a perfeição humana, eliminando todos os outros “protótipos de imperfeição”. Ou seja, será possível haver uma raça perfeita, deixando para trás todas as outras?

É impossível olharmos para este acontecimento sem criticar os responsáveis e sem sentir ódio pelos nazis mas deixem-me que vos diga que se tivermos ódio pelas atitudes deles e os quisermos “eliminar”, estaremos a ter a mesma atitude e a cometer ao mesmo tempo genocídio de uma raça humana. Dito isto, a solução passa por repudiar este tipo de atitudes ou comportamentos perante os neonazis, mas de uma forma diferente e que penalize completamente os responsáveis, através de penas prisionais como a prisão perpétua ou a indemnização de várias famílias que sofreram e ainda sofrem com tudo isto.

O que saliento ainda é que é hora de mudar, é hora de lutarmos por uma sociedade humanizada e civilizada, é hora de promovermos o diálogo intercultural de forma pacífica e respeitadora, ou seja, é hora de sermos “um por todos e todos por um”.

O Pedro Almeida escreve com o Novo Acordo Ortográfico.

Avatar

Pedro Almeida, de 21 anos, é um estudante universitário do curso de Publicidade e Marketing, cuja paixão reside no Marketing, na escrita e na responsabilidade social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *