Atualidade

PS conquista maioria absoluta

Na noite de domingo, António Costa conquistou a tão pedida maioria absoluta para o Partido Socialista, Chega torna-se a terceira força política e o CDS perde qualquer representação ao fim de 47 anos. 

Com 41,68% dos votos e 117 deputados no parlamento, o PS foi o partido mais votado nas legislativas de 2022. António Costa consegue assim a maioria absoluta que tanto pediu durante a campanha eleitoral.

O PSD é o segundo partido mais votado, com 27,8% dos votos e 71 deputados. Rui Rio abriu então portas à sucessão do principal partido da Oposição, referindo que não vê utilidade continuidade da sua liderança por mais quatro anos. 

Fonte: Publico

A extrema-direita ganhou força nestas legislativas. O Chega, de André Ventura, conseguiu tornar-se a terceira força política em Portugal. O partido que antes apenas tinha um deputado no parlamento, ascendeu para 12 deputados com 7,15% dos votos. 

Também o Partido de João Cotrim Figueiredo cresceu nestas eleições. A Iniciativa Liberal obteve quase 5% dos votos, passando a contar agora com oito deputados no parlamento. 

Já o Bloco de Esquerda, teve uma grande derrota nestas legislativas. O partido, que antes se apresentava como terceira força política e contava com 19 deputados no parlamento, passa agora a quinta força política. O partido de Catarina Martins, prejudicado pelo fenómeno do voto útil, atingiu apenas 4,46% dos votos e cinco deputados. 

Fonte: Diário de Notícias

A CDU, coligação formada pelo PCP e pelo Partido Ecologista Os Verdes, também desce e falha a eleição de nomes como o histórico António Filipe e o líder parlamentar João Oliveira. A CDU não vai além de 4,4% e passa de dez para seis deputados.

Contudo, não há dúvidas que a maior derrota desta noite legislativa vai para o CDS, que perdeu toda a sua representação parlamentar. O partido, que se encontrava no parlamento há 47 anos, alcançou um total de 1,61% dos votos e passou de cinco deputados para zero. 

Fonte: TSF

O PAN também sofreu uma quebra assinalável e perdeu os três deputados que tinha alcançado em 2019. Mesmo assim, e apesar de ter apenas 1,53% dos votos, os animalistas conseguiram eleger Inês Sousa Real, por Lisboa.

Por fim, no sentido inverso à esquerda do PS, o Livre conseguiu 1,28% dos votos e elegeu Rui Tavares, por Lisboa. O partido recupera assim a representação parlamentar que tinha desaparecido. 

Fonte da capa: SIC Notícias

Artigo revisto por Ana Sofia Cunha

AUTORIA

+ artigos

A Beatriz nasceu e cresceu no Algarve e talvez por isso tenha um grande carinho pelo mar. Ingressou em Relações Públicas e Comunicação Empresarial na Escola Superior de Comunicação Social e sempre teve um grande gosto pela escrita e pelo benefício de levar informação a todos. Procura, juntamente com a ESCS Magazine, ter oportunidade de fazer algo que gosta e partilhar informação ao mesmo tempo.