Relatos Selvagens

Fonte: adorocinema

Relatos Selvagens ou Wild Tales (segundo a adaptação americana) é um filme do realizador argentino Damián Szifrón, gravado na sua terra natal. Estreou-se em agosto de 2014 e chegou a Portugal no ano seguinte.

Inspirado na série de televisão “Contos Assombrosos”, de Steven Spielberg, é uma coletânea de seis curtas metragens. Nelas é retratado um conjunto de sentimentos negativos, como a vingança, o ódio, o arrependimento, a ira, a injustiça, a chantagem, a extorsão, a traição e a relação de amor/ódio, de forma hilariante, que o espetador consegue facilmente associar aos diversos capítulos desta história. Além disso, tem lugar em espaços e situações convencionais ou triviais, como um avião, um restaurante, um carro, uma casa e um casamento, o que adensa a comédia e o romance, mas também o drama e o horror.

Conta com a participação de atores como Liliana Ackerman, Luis Manuel Altamirano Garcia, Alejandro Angelini e Ricardo Darín, protagonistas nos episódios. “Pasternak” dá-nos conta de uma viagem de avião aparentemente comum, com uma inesperada coincidência de passageiros; “As ratazanas” retrata-nos o encontro com o  passado e traz para cena os instintos primitivos das personagens que interpretam o episódio; em ”O mais forte” é revelado como o desrespeito numa ultrapassagem conduz a um crime aparentemente passional; “A bombinha” retrata o intrincado sistema burocrático de um país e a forma como isso pode afectar o cidadão comum; em “A proposta” o realizador mostra como o ato involuntário de um jovem consegue desencadear um sistema corrupto, neste caso argentino, totalmente enraizado;  “Até que a morte nos separe” leva-nos à relação amor/ódio das personagens e mostra-nos como uma traição amorosa pode levar uma noiva ao limite.

O filme demonstra a forma como atos aparentemente inocentes podem levar a situações extremas, nas quais o ser humano é colocado à prova, conferindo ao filme um carácter violento, quase surreal, mas ao mesmo tempo introspetivo, que nos leva a pensar sobre o quotidiano.

Relatos selvagens venceu o prémio de Goya de Melhor Filme Ibero-Americano e competiu pelo prémio Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes, onde foi aclamado pela crítica e pelo público, tendo feito um percurso invejável por vários festivais internacionais.

Os espetadores votaram e atribuíram-lhe 8.1 numa escala de dez pontos, segundo o site do IMDb.

Artigo revisto por Vitória Monteiro

Artigos recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *