• Atualidade

    Polícia Marítima portuguesa resgata 34 migrantes no mar Egeu

    Trinta e quatro migrantes – entre eles, 12 crianças – foram resgatados esta terça-feira no mar Egeu por uma equipa da Polícia Marítima portuguesa, que está em missão em Lesbos. A informação foi hoje divulgada pela Marinha. Os migrantes foram encontrados à deriva num bote de borracha, que navegava condicionado pela falta de visibilidade, de acordo com o comunicado pela Marinha. “O bote, no qual seguiam 12 crianças, das quais um bebé, oito mulheres e 13 homens, foi detetado pela Viatura de Vigilância Costeira (VVC) da Polícia Marítima, que passou de imediato as coordenadas para a equipa em patrulha no mar”, acrescentou a Marinha Portuguesa. A Polícia Marítima “resgatou todos…

  • Atualidade,  Informação

    Campo de refugiados na Grécia é atacado por grupo de extrema-direita Aurora Dourada

    Um grupo de membros ainda não identificados do partido neonazi Aurora Dourada atacou, na passada quinta-feira, o campo de refugiados de Souda, na ilha de Quios, perto da Turquia. Entre as vítimas estão ainda dois voluntários locais. O ataque dizimou várias tendas, incluindo uma em que estavam alojadas cinquenta pessoas. Trata-se de um campo com condições muito precárias que conta atualmente com mais de quatro mil e duzentos ocupantes, tendo capacidade para mil e cem. Testemunhas revelaram ao Huffington Post que, perto da 1h, um grupo de cerca de sessenta membros do partido Aurora Dourada se dirigia para o campo de Souda, atirando pedras, projéteis em chamas e cocktails Molotov. “As…

  • Atualidade,  Informação

    Áustria quer excluir provisoriamente a Grécia do Espaço Schengen

    Johanna Mikl-Leitner, ministra do interior austríaca, afirmou que se Atenas não reforçar o controlo e vigilância fronteiriça face à vaga de migrantes que procuram entrar na Europa, irá defender “ a exclusão provisória” da Grécia do Espaço Schengen. “Se o Governo de Atenas não se empenhar na segurança das fronteiras exteriores da União Europeia, teremos de falar de forma aberta da exclusão provisória da Grécia do espaço Schengen (…) A paciência de vários estados europeus chegou ao limite. Já falámos muito, é altura de agir para proteger a estabilidade, a ordem e a segurança na Europa”, declarou. Este assunto já foi discutido em dezembro do ano passado e o ministro…

  • Atualidade,  Informação

    Medidas “recessivas” são aprovadas no parlamento grego apenas com os votos dos partidos do governo

    Neste Sábado, Syriza e Gregos Independentes foram os únicos partidos do parlamento grego que aprovaram a implementação de novas medidas de austeridade; os restantes, incluindo a Nova Democracia, votaram contra. Mais de 140 deputados gregos rejeitaram o pacote de medidas exigidas pelos credores europeus, que validava a primeira parcela do empréstimo de 86 mil milhões de euros. Na segunda candidatura às eleições, Tsipras decidiu pôr o radicalismo de lado prometendo ao povo grego uma renegociação com os credores para a redução da dívida. No entanto, esta tentativa de renegociação só poderia ocorrer após a recapitalização da banca, algo que, segundo o primeiro-ministro, só pode ser feito a partir de “medidas…

  • Atualidade,  Informação

    Passos acusa a oposição de extremismo e relembra as atitudes do seu “colega Aléxis Tsípras”

    Durante um almoço-comício em Felgueiras, Passos Coelho, atual primeiro-ministro e membro principal da coligação PaF, afirmou que a “promessa atual do líder do PS” consiste na criação de “um governo extremista”, também constituído por “comunistas e bloquistas” que, “contra a vontade dos portugueses”, possa “governar o país”. Esta é a acusação que Passos Coelho faz a António Costa na eventualidade da coligação vencer as próximas eleições legislativas, que terão lugar no próximo domingo, dia 4 de outubro. Para demonstrar que o radicalismo não é o caminho, o primeiro-ministro quis relembrar aos portugueses os resultados das eleições antecipadas, realizadas na Grécia. “Reparem bem que até na Grécia, o meu colega Aléxis…

  • Informação

    O ano em que a vontade popular moveu o mundo

    Desde há muito tempo que não se via um ano onde as pessoas comuns conseguiram mudar tanto o mundo. É sem dúvida a maior das provas de que juntos somos mais fortes. Referendos, eleições históricas que vão marcar os próximos anos, manifestações, migrações em busca de uma vida melhor, e no final uma certeza: o mundo está diferente daquilo que víamos em Setembro do ano passado. O mundo moveu-se em torno da Escócia, da Catalunha e de toda a Espanha no geral, de Baltimore, Paris, Itália, Síria, Grécia e da Irlanda. Todos estes locais foram verdadeiros centros de decisão e de mudança este ano. Por Portugal, vivemos o primeiro ano…

  • Opinião

    Urbi et obras: Quem é quem?

    Desde que a crise foi oficializada em Portugal com o pedido de ajuda externa que tem havido algumas crises de identidade. Alguns achavam que Portugal era a prova de que a natureza não é perfeita e que estava na altura de admitir à mãe Alemanha isso mesmo: “Eu sou um ele, mas sinto que nasci com as fronteiras erradas. Sou um ele, mas sinto-me uma “ela”. A partir de hoje sou a Grécia”. Claro que a Alemanha fez o que qualquer mãe austera faz numa situação destas e meteu Portugal de castigo. Aos poucos, foi aliviando um pouco, mas continua a exigir que Portugal cumpra as suas obrigações para não…

  • Opinião

    Espírito Espartano

    “Nós não somos a Grécia”, by Passos Coelho… Decorem esta frase. Vai acompanhar-vos, pelo menos, até Outubro. Faz hoje duas semanas, mais coisa menos coisa, que a Coligação da Esquerda Radical, mais conhecida como Syriza, venceu as legislativas gregas. Como se esperava, bateu de imediato o pé à Europa: acabou a austeridade (acabou a mama). Alexis Tsipras fez aquilo que, a meu ver, nós tivemos medo de fazer: dizer basta(!) à Alemanha. Com o ritmo de crescimento económico actual, 0,7% do PIB em 2014, e com a dívida a atingir 180%(!) do PIB demorariam mais de 200 anos a pagar a dívida. Neste momento, a classe média é uma miragem…